Chichén Itzá: visitar as ruínas Maias no México em 2024

Chichen Itza
Índice do artigo

Atualizado em: Janeiro 25, 2024

Chichén Itzá é um dos sítios arqueológicos mais importantes do México aliás, é também uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno e Património da UNESCO.

Está localizado no Yucatán, ou Lucatão, e também é um dos sítios arqueológicos mais visitados no México.

Neste artigo vamos falar-lhe da nossa experiência em Chichén Itzá, que visitámos enquanto estávamos na Riviera Maya, no México.

Inclui muita informação histórica acerca deste local, para o caso de o visitar sem o acompanhamento de um guia especializado.

É que Chichén Itzá tem uma importância bastante relevante para o entendimento do calendário e astronomia da Cultura Maia, e sem esta informação acho que perderia uma parte importante da visita.

Um pouco da história de Chichén Itzá

Este é um dos ponto turísticos mais visitados no México e foi uma importante cidade maia com milhares de habitantes.

O monumento mais procurado é o Kukulcán, também conhecido como El Castillo, mas no complexo pode também visitar o Templo dos Guerreiros, a Parede das Caveiras, o Cenote Sagrado e o Campo de Jogo da Bola.

O que ver em Chichén Itzá?

Ora, há muito, mas muito para ver em Chichén Itzá, por isso vá com tempo! É claro que se estiver num tour organizado só vai ver o que lhe mostram, a menos que saiba o que lhe conto neste artigo e peça ao guia para ir visitar estes lugares!

O Templo Maia de Kukulcán, ou El Castillo

É a pirâmide central em Chichén Itzá, tem 30 metros de altura, sendo que as quatro escadarias, cada uma com 91 degraus, perfazem 364.

Se acrescentar a plataforma superior da pirâmide, ficamos com 365, o que corresponde ao ano civil atual, mas também ao Haab do calendário solar agrícola das civilizações mesoamericanas.

Mas as maravilhas do Kukulcán não ficam por aqui, já que se bater palmas diretamente em frente a uma das escadarias da pirâmide, o eco retorna transformado como o som de quetzal, aves sagradas cujas penas apenas sacerdotes e altos governantes podiam usar.

Ou seja, o Kukulcán mostra os sólidos conhecimentos dos maias nas áreas da matemática, geometria, acústica e astronomia.

O Templo dos Guerreiros

Este templo tem mil colunas entalhadas com imagens de guerreiros que serviriam de apoio a um teto que já não existe.

É o local onde os maias faziam os sacrifícios humanos. No tempo central é possível ver relevos dos guerreiros, bem como águias e jaguares a devorar corações humanos.

Tzompantli, a Parede das Caveiras

Tzompantli é uma estrutura que mostra, em baixo relevo, várias fileiras de crânios. Há quem acredite que esta estrutura comprova, se é que precisava, a existência de sacrifícios humanos na cultura mais.

Devo dizer que sabendo a história de Tzompantli é difícil ficar indiferente perante este cenário.

O Cenote Sagrado de Chichén Itzá

O Cenote Sagrado é um enorme poço natural que fica no sítio arqueológico de Chichén Itzá.

Um dos rituais que mais impressiona da civilização maia eram os sacrifícios humanos, sendo que tudo indica que os escolhidos para estes sacrifícios eram atiradas para este cenote em particular.

O Campo de Jogo da Bola

O jogo da bola (pelota, como dizem) era um ritual característico, não só do povo maia, mas das culturas mesoamericanas.

O jogo com uma profunda conotação espiritual, representava o combate mítico entre a noite e o dia. Assim, a bola, muitas vezes em fogo, teria de passar por passar pelos jogadores, apenas usando os antebraços e as ancas. O objetivo era fazer passar a bola por uma baliza esférica que estava num ponto alto.

A recompensa para o vencedor era ser escolhido como sacrifício humano, ou seja, era a morte.

Aliás, algumas teorias afirmam que esta foi uma das razões para o declínio do império Maia no México.

Tudo o que precisa saber sobre o Complexo Arqueológico de Chichén Itza, no México

Que povo construiu a pirâmide de Chichén Itzá?

Chichén Itzá foi uma grande cidade pré-colombiana, ou seja, anterior à chegada dos europeus à América. A pirâmide de Kukulcán em Chichén Itzá foi construída pela civilização maia Itzae no século XII.

No entanto, a cidade nem sempre foi sempre habitada, já que foi abandonada em 670 d.C. e reconstruída 300 anos mais tarde.

É possível subir à pirâmide de Kukulcán em Chichén Itzá?

Não é permitido subir a Kukulcán, a pirâmide principal de Chichén Itzá desde 2006, apesar de alguns turistas de vez em quando tentarem subir.

O que significa Kukulcán?

Para o povo maia, kukul- significa divino e Kan- significa serpente, ou seja, o templo de Kukulcán no México tem o significado de serpente sagrada, o que é semelhante ao deus asteca Quetzalcóatl, sendo que neste último caso, a tradução mais correta seria serpente emplumada.

Porque os maias construíram as pirâmides?

No México, para além da pirâmide de Kukulcán, existem outros exemplos grandiosos da arquitectura maia, como por exemplo o Pirâmide de Uxmal, a Pirâmide de Cobá e a Pirâmide de Palenque.

Tudo indica que os maias contruíam estas pirâmides como centros religiosos e de adoração aos céus.

Qual é a melhor altura para visitar Chichén Itzá?

O início do dia ou o final do mesmo é a melhor altura para visitar o complexo de Chichén Itzá de forma independente, que é quando os autocarros com excursões já se foram embora.

Mas se quiser ter uma experiência deveras especial, o melhor momento é no Equinócio da Primavera.

É que por altura do equinócio em Chichen Itza, acontece algo impressionante, que mostra a sabedoria e engenho do povo maia.

Assim, os movimentos de luz e sombra sobre a pirâmide de Kukulcán faz com que pareça que uma cobra de 36 metros está a rastejar escada abaixo para se juntar a uma enorme cabeça de cobra que está ao pé da escada. 

Leia também

Por fim, está a pensar visitar o México? Então nesse caso tomamos a liberdade de sugerir que veja os seguintes artigos:

  • Tudo o que precisa saber entres de visitar Tulum
  • Ek Balam: explorar a antiga sede do reino Maia

Viajar em família, de forma frequente, com algum conforto e sem ir à falência! Somos uma Família Portuguesa a viajar pelo mundo e partilhamos tudo em passaportenobolso.com. Aqui encontra muitas dicas de viagem, bem como informações práticas sobre vários destinos na Europa, África, Ásia e América. Visitei +30 países e não planeio parar tão cedo. De vez em quando viajo sozinha… Acompanhe tudo no Instagram / Facebook / YouTube / Pinterest / Twitter.

Organize a sua viagem!

Reserve com os nossos parceiros; as marcas a seguir indicadas foram testados por nós, são de total confiança e por isso nós as recomendamos!

Além disso, ao usar estes links nós recebemos uma pequena comissão, o que nos ajuda a manter o blogue atualizado. Agradecemos a contribuição 

  • Alojamento no Booking;
  • Tours, entradas em museus, transferes de e para o aeroporto e atrações turísticas sem filas e com descontos pontuais em Get Your Guide;
  • Seguros de viagem à sua medida (inclui seguro COVID-19), com atendimento em língua portuguesa e com 5% desconto na IATI Seguros;

Não se esqueça que nós organizamos as nossas viagens e a dos nossos amigos, também podemos organizar as suas! reservapassaporte@gmail.com.

Este post pode conter links afiliados.

Partilhar Artigo

Artigos Relacionados

5 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.