O que fazer em Macau num dia (Day Tour de Hong Kong)

ruinas-igreja-s.-paulo-macau
Índice do artigo

Atualizado em: Janeiro 11, 2024

O que fazer em Macau num dia, ou seja, tudo o que precisa saber se vai viajar para Macau num tour de um dia desde Hong Kong.

É claro que em apenas um dia não vai conseguir conhecer todas as atrações turísticas de Macau, mas se não tem mais dias para visitar esta região, aqui fica o nosso roteiro.

Inclui informações de o que fazer em Macau, mas também dicas práticas relativamente aos bilhetes de ferry.

Portanto, aproveite bem o tempo que estiver em Macau com este roteiro.

O que fazer em Macau num dia

Dois dias antes recebemos um email de confirmação da agência de viagens que nos indicou o local de encontro.

O guia encontrou-se connosco e explicou-nos como seria o dia.

Fomos de autocarro até ao Terminal Marítimo de Hong Kong, entregaram-nos os bilhetes de ida e de regresso do ferry e explicaram-nos que em Hong Kong teríamos um guia diferente.

bilhetes-ferry-hong-kong-macau

A viagem de ferry demorou cerca de uma hora e quando chegámos ao Macau Ferry Terminal foi muito estranho ver as placas em português e chinês. 

O nosso guia, Mário, reuniu o grupo e entregou-nos alguns mapas.

Perguntei-lhe em inglês se não tinha mapas em português e qual não foi o meu espanto quando ele nos respondeu em português.

Afinal ele era português e vivia em Macau há mais de vinte anos.

A primeira paragem do tour foi rápida. O autocarro parou num parque de estacionamento onde se podiam ver o Palácio do Governador, o Grande Casino Lisboa, o Macau Tower e lá ao fundo podia ver-se a China Continental.

casa-do-governador-macau
Casa do Governador
grand-lisboa-macau
Grande Lisboa
Macau-tower
Macau Tower

Seguiu-se uma viagem panorâmica da cidade e algumas informações decoradas pelo guia foram sendo debitadas.

A única informação que retive foi que podíamos usar os Hong Kong Dólares em território Macaense e que se levássemos patacas para Hong Kong não seriam aceites como meio de pagamento.

Por falar em dinheiro, a paragem a seguir foi no The Venetian.

O casino The Venetian

A fachada é igual ao The Venetian em Las Vegas. O Hotel, Casino e Centro Comercial são gigantes.

Na área comercial existe uma réplica da Praça de São Marcos e canais com gôndolas venezianas.

Outra particularidade é o céu a fingir que está sempre azul.

Do casino só conseguimos espreitar quando subíamos as escadas rolantes a caminho da Praça de São Marcos.

The-Venetian_Macau
venetian-macau
The-Venetian_Macau

Depois da homenagem ao Deus do dinheiro, seguiu-se a homenagem ao Deus do espírito. 

Visitar o Templo de A-Má

Parámos junto ao Templo de A-Má para mais uma lição de história.

O templo tem mais de 600 anos e quando os portugueses chegaram lá perguntaram o nome da terra e, claro, os nativos não perceberam a pergunta e responderam que aquele era o templo de A-Má.

Disseram algo como A-Má-Cá, então os portugueses acharam que a terra de chamava Macau. Foi mais ou menos isto o que o guia nos explicou.

Templo-A-Ma-macau

Histórias à parte a templo é pequeno mas muito bonito.

O que chama logo a atenção é a calçada portuguesa nas ruas em tons de branco, preto e rosa.

Depois da visita ao templo fomos a uma pastelaria cuja especialidade é o pastel de nata.

Nós não comprámos pastéis mas quem os provou estava deliciado.

Em contrapartida nós estivemos entretidos a provar as outras especialidades deles, que por acaso eram grátis.

Biscoitos de amêndoa de vários tipos, a maior parte demasiado secos para o meu gosto mas que naquele momento souberam que nem ginjas.

biscoitos-de-amendoa-macau

Regressámos ao autocarro e fizemos uma curta paragem junto à estátua de Guan Yin.

Ver a estátua de Guan Yin

Parece que os macaenses no início não gostaram muito da estátua dourada que foi uma oferta do Governo Português aquando da devolução do território à China.

As feições ocidentais da estátua e o facto de não estar de acordo com os princípios de Feng Shui não agradaram mas têm considerado que a estátua trouxe boa sorte a Macau e por isso resolveram aceitá-la.

As feições ocidentais da estátua e o facto de não estar de acordo com os princípios de Feng Shui não agradaram mas têm considerado que a estátua trouxe boa sorte a Macau e por isso resolveram aceitá-la.

Estatua de Guan Yin

O almoço buffet incluído no tour foi num hotel e experimentei um prato típico macaense que se chama “frango à portuguesa”.

O guia brincou com o nome da receita e disse que alguém fosse a Portugal e pedisse “frango à portuguesa” certamente lhe serviriam outra coisa.

A verdade é que a comida estava boa, não tenho fotografias mas vou tentar arranjar a receita para fazer cá em casa.

Segunda parte do tour

Depois do almoço finalmente fomos visitar o centro histórico de Macau. Visitámos a fachada icónica da Igreja de São Paulo, também conhecida como igreja da Madre de Deus, a escadaria e as ruas centrais até à Igreja de São Domingos.

Ruínas da igreja de São Paulo em Macau
Igreja S. Domingos

Antes de regressarmos ao ferry e já que estávamos na terra dos casinos, ainda visitámos o Grand Emperor Hotel, o hotel e casino do Jackie Chan cuja particularidade está no chão.

Várias barras de ouro estão acomodadas no chão da receção do hotel. Bizarro!

Grand Emperor Hotel
Grand Emperor Hotel

Viajar para Macau desde Hong Kong não é complicado, mas existem algumas informações que deverão ser do seu conhecimento.

Assim, tanto Hong Kong como Macau são zonas administrativas da China mas a circulação entre os três territórios faz-se com regras.

No artigo de hoje vamos trazer-lhe algumas informações que é importante que saiba numa viagem entre Hong Kong e Macau.

Seis coisas que precisa saber se viajar para Macau desde Hong Kong

Passagem pela emigração

Se estiver em Hong Kong e for visitar Macau, é como se fosse para um país diferente, pelo que tem de passar pelos serviços de imigração dos dois lados. Portanto, leve caneta para preencher os impressos na alfândega.

Visto na fronteira de Macau

Passaporte válido é suficiente para entrar em Macau. Cidadãos portugueses não precisam de pedir visto antecipadamente. À chegada ser-lhe-à concedido visto de entrada e é gratuito. No entanto, as regras podem mudar pelo que tomo a liberdade de sugerir que confirme a informação antes de viajar.

Influência Portuguesa em Macau

A influência portuguesa é óbvia, desde os pasteis de nata, ao nome das ruas e à calçada portuguesa.

Os edifícios históricos estão bem preservados e há um esforço para que continuem assim. Ao percorrer o centro histórico pode achar que está em Lisboa e acredite que não é fácil fazer a manutenção deste tipo de construção num clima tão quente e húmido.

No entanto, não espere encontrar pessoas na rua a falar português. A menos que seja um grupo de viajantes portugueses.

Compras em Macau

Macau é um sítio excelente para fazer compras. Os preços são muito competitivos porque não há impostos sobre os produtos.

A renda que os casinos gera está sujeita a impostos e é suficiente para que não aja necessidade de taxar os produtos de consumo. Num dia normal verá grupos de chineses carrregados de sacos de compras prontos para regressarem à China. Mas se quiser realmente poupar terá de se afastar das lojas nos casinos.

Admire a Calçada Portuguesa em Macau

Pelo que o nosso guia nos contou, a calçada portuguesa foi construída com pedras que vieram de Portugal.

Trouxeram a pedra em blocos grandes que depois foram cortados em cubos mais pequenos por pedreiros portugueses. Custa-me acreditar que se tenham dado a tanto trabalho!

Altares e oferendas em Macau

Olhe de vez em quando para o chão e terá gratas surpresas.

Além de poder admirar a magnífica calçada portuguesa, poderá apreciar mini altares que abundam nas ruas de Macau.

Já os tínhamos visto em Hong Kong portanto não foi surpresa vê-los em Macau. A religião faz parte da prática diária dos macaenses, o que faz com que os mini altares sejam visitados frequentemente. Costumam ter incenso e oferendas.

Não se assuste se vir uma caixinha encostada à parede de uma loja com incenso a arder rodeado de fruta, água ou chávenas de chá.

Leia também

Por fim, está a pensar visitar Hong Kong e Macau? Então nesse caso tomamos a liberdade de sugerir que leia os seguintes posts:

Viajar em família, de forma frequente, com algum conforto e sem ir à falência! Somos uma Família Portuguesa a viajar pelo mundo e partilhamos tudo em passaportenobolso.com. Aqui encontra muitas dicas de viagem, bem como informações práticas sobre vários destinos na Europa, África, Ásia e América. Visitei +30 países e não planeio parar tão cedo. De vez em quando viajo sozinha… Acompanhe tudo no Instagram / Facebook / YouTube / Pinterest / Twitter.

Organize a sua viagem!

Reserve com os nossos parceiros; as marcas a seguir indicadas foram testados por nós, são de total confiança e por isso nós as recomendamos!

Além disso, ao usar estes links nós recebemos uma pequena comissão, o que nos ajuda a manter o blogue atualizado. Agradecemos a contribuição 

  • Alojamento no Booking;
  • Tours, entradas em museus, transferes de e para o aeroporto e atrações turísticas sem filas e com descontos pontuais em Get Your Guide;
  • Seguros de viagem à sua medida (inclui seguro COVID-19), com atendimento em língua portuguesa e com 5% desconto na IATI Seguros;

Não se esqueça que nós organizamos as nossas viagens e a dos nossos amigos, também podemos organizar as suas! reservapassaporte@gmail.com.

Este post pode conter links afiliados.

Partilhar Artigo

Artigos Relacionados

4 respostas

  1. Eu conheci Macau e Hong Kong com meus pais quando fiz 18 anos. Ainda não tive chance de levar os meninos, mas foi uma experiência muito bacana😁👍Achei estranho que, embora tivesse algumas placas em português em Macau, ninguém sabia falar nosso idioma. Vocês também passaram por isso?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.