Browsing Tag

Road trip

11

Road trip |sobreviver a 1500 kms com crianças.

Como-sobreviver-a-uma-road-trip-com-crianças

Os nossos filhos têm 14 e 5 anos respetivamente e sempre viajaram connosco.
Com o tempo aprendemos que tanto crianças pequenas como as mais crescidas conseguem tirar um adulto do sério de vez em quando.

Cada um saberá a melhor forma de lidar com a prole mas reconheço que algumas dicas que fui lendo em blogues realmente resultam e tornam a viagem menos stressante.

Em primeiro lugar, acreditamos que as viagens são momentos especiais em que criamos memórias e fortalecemos os laços enquanto família. Fomos incutindo este espírito aos nossos filhos e com o tempo perceberam que não podem comportar-se de forma a dificultar a viagem. Portanto, gritos e birras não combinam com viagens.

Por outro lado, em viagem somos tolerantes em relação a outras coisas: eles podem ficar acordado até tarde, beber refrigerantes, comer fast food e ficar horas no tablet ou a jogar Nintendo.

Como-sobreviver-a-uma-road-trip-com-criançasComo-sobreviver-a-uma-road-trip-com-crianças

Nesta road trip em particular não fizemos muitos kms seguidos com os miúdos acordados, o que nos facilitou muito. É normal dividirmos o percurso em trechos com pernoitas a meio do caminho para não nos cansarmos em demasia e as paragens nas estações de serviço para correr e brincar são obrigatórias.

Como-sobreviver-a-uma-road-trip-com-crianças

As possíveis fontes de conflito são eliminadas de raiz. Isto significa que se os rapazes não se entenderam quando estão a jogar o mesmo jogo eles sabem que os pais lhes tiram o jogo. E não há apelo possível. Pode parecer excessivo mas tem resultado.

Por sorte as esquisitices na hora das refeições terminaram há uns anos no Luxemburgo mas temos sempre connosco um saco de gomas que funcionam como recompensa. Nunca imaginei que um saco de doces pudesse ter tanto poder. Eles anseiam a oportunidade de se portarem bem para comer uns docinhos.

O tempo dentro do carro foi passado a conversar e a fazer jogos. Fazemos equipas de dois pois os adultos também entram na brincadeira. Os km parecem que são percorridos mais rapidamente quando estamos à procura de carros amarelos ou pontes por cima da autoestrada.

Com viagens tão facilitadas quem sabe daqui a uns tempos fazemos uma road trip de várias semanas pela Europa 🙂

Tem outras dicas para partilhar connosco? Por favor deixe o seu comentário.

9

Parque Doñana, à procura do lince ibérico.

parque-donana-espanha

parque-donana-espanha

A entrada para o Paque Doñana está situada a menos de 3 km de Matalascañas onde ficámos alojados.

Não é possível visitar o parque de forma independente pois apenas uma pequeníssima área está aberta a visitas livres, o que obriga a marcações com antecedência pois os tours são bastante concorridos.

Nós comparámos os tours oferecidos em El Rocío e no próprio parque e decidimos optar pelo segundo porque nos pareceu mais completo e estava situado muito perto do nosso hotel. Existem duas visitas por dia, uma ao início da manhã e outra ao início da tarde. Aconselharam-nos a ir de manhã por causa do calor mas também porque de manhã os animais estão mais ativos.

O nosso guia explicou-nos que existem dois parques, o Parque Natural Doñana e o Parque Nacional Donãna. A visita começou a alta velocidade pela praia. Só se viam mariscadores e aves.

parque-donana-espanha

Entrámos na duna móvel, fizemos uma paragem para algumas explicações do guia e quando nos embrenhámos no parque começaram a aparecer os animais.

parque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanhaparque-donana-espanha

Nós bem procurámos mas o lince ibérico é muito difícil de avistar. No entanto foi divertido por os miúdos à procura do fugidio animal. Pelo menos mantiveram-se entretidos.

parque-donana-espanha

Não encontrou o que procura? Envie-nos um e-mail ou deixe um comentário. Temos todo o gosto em ajudar!

15

El Rocio, o faroeste em Espanha.

El-Rocio-espanha

Em conversa com amigos disseram-me que El Rocío era um mundo aparte. E não estavam a brincar. A melhor forma de o descrever talvez seja compará-lo ao faroeste americano, ou pelo menos a imagem que passam em filmes de Hollywood.

El-Rocio-espanhaEl-Rocio-espanhaEl-Rocio-espanhaEl-Rocio-espanhaEl-Rocio-espanhaEl-Rocio-espanhaEl-Rocio-espanhaEl-Rocio-espanha

O chão não tem asfalto, à frente de cada casa existe uma barra para prender as rédeas do cavalo e uma nuvem de pó envolve o Rocío. Os visitantes refugiavam-se do calor nas lojas de souvenirs com ar condicionado e uns quantos faziam fila para tirar uma fotografia aos filhos em cima de póneis. Cada fotografia custava 1 euro.

A Ermita del Rocío é dedicada ao culto mariano e a imagem da Virgen del Rocío atrai bastantes visitantes.

El-Rocio-espanhaEl-Rocio-espanhaEl-Rocio-espanha

Dentro da localidade o estacionamento é pago. Pode circular de carro à vontade mas se quiser estacioná-lo terá de pagar. Funciona mais ou menos assim: quando um carro estaciona, o funcionário responsável por aquela área dirige-se ao condutor do veículo e cobra o valor relativo ao estacionamento. Vimos alguns carros a abandonar o estacionamento depois de algumas palavras trocadas com estes funcionários. Em alternativa pode deixar o carro junto à estrada nacional e atravessar a zona de estacionamento paga a pé.

Não encontrou o que procura? Envie-nos um e-mail ou deixe um comentário. Temos todo o gosto em ajudar!

7

Praia de Matalascañas, dias tranquilos.

matalascañas-dias-perfeitos-na-praiaMatalascañas revelou-se um destino de praia perfeito! A costa tem boas infraestruturas para receber e entreter os visitantes: cafés, restaurantes, lojas, chuveiros, wc, parque de diversões de insufláveis e aluguer de barcos. Além disso, os habituais vendedores de óculos de sol, carteiras e afins percorrem o areal em silêncio à procura de clientes. Sim, em silêncio! Não apregoam a mercadoria nem importunam ninguém.

matalascañas-espanhamatalascañas-espanhamatalascañas-espanhamatalascañas-espanhamatalascañas-espanhamatalascañas-espanhamatalascañas-espanhamatalascañas-espanha

A imagem de marca da praia é a Torre de la Higuera, também conhecida como “La Peña”, ou o que resta dela. Atualmente o que vemos é a base da fortificação, uma vez que a torre foi destruída em 1755 em consequência do maremoto que também destruiu Lisboa. Além disso, a ação constante do mar não deve ter ajudado a conservar o monumento. Para quem estiver com ideias de escalar a torre devo alertar que são aplicadas coimas pesadas para os aventureiros.

matalascañas-espanhamatalascañas-espanha

Não encontrou o que procura? Envie-nos um e-mail ou deixe um comentário. Temos todo o gosto em ajudar!

8

Road trip – Do Porto até Matalascañas. Roteiro para sete dias.

Quem viaja com crianças sabe que road trips podem ser complicadas. Os nossos filhos têm pouca paciência, aborrecem-se com facilidade e começam a implicar um com outro quando não têm nada para fazer, o que torna algumas horas dentro do carro um autêntico suplício.

Mesmo assim, imbuídos do espírito de aventura, no início de setembro decidimos fazer uma road trip de 1500 km e o destino escolhido foi Matalascañas.

matalascanas-espanha

O roteiro final ficou assim:

Dia 1 – Porto – Pegões
A primeira parte do trajeto foi tranquila. Como saímos de casa ainda de madrugada os rapazes adormeceram e quando acordaram metade do trajeto estava percorrido. Depois do almoço fizemos o check-in no Monte Girassol e o resto do dia foi passado a descontrair na piscina como contámos aqui .

monte-girassol-pegoes

Dia 2 – Pegões – Vila Real de Santo António – Matalascañas
Despedimo-nos do Monte Girassol e dirigimo-nos para Vila Real de Santo António, onde nos esperava um almoço digno de rei. O restaurante Casa do Polvo é conhecido pelos pratos de polvo!! e nós experimentámos três variedades.

casa-do-polvo-restaurante-santa-luziarestaurante-casa-do-polvopolvo-a-lagareiro-casa-do-polvoarroz-de-polvo-casa-do-polvo

Com o estômago mais composto aproveitámos o sol para retemperar a alma com um passeio junto à costa.

vila-real-santo-antonio

Só depois rumámos a Espanha. Chegámos a Matalascañas a meio da tarde e quando as formalidades de check-in estavam concluídas, demos um mergulho na piscina e corremos para a praia para ver o por-do-sol.

praia-matalascanhas-espanha

Dia 3 – Matalascañas
O terceiro dia de viagem foi passado na praia. A água estava estranhamente quente, por alguma razão imaginei que a temperatura seria semelhante à do Algarve mas, sorte a nossa, se não fosse a areia mais grossa, diria que estava nas Caraíbas.

praia-matalascanas

Dia 4 – El Rocío
El Rocío fica a cerca de 20 km de Matalascañas e vale mesmo a pena a visita. Nós fomos da parte da manhã por causa do calor e aproveitámos a tarde para regressar à praia de Matalascañas.

ermida-el-rocioel-rocio

Dia 5 – Parque Nacional e Natural Doñana
Sem dúvida o ponto alto da viagem! Foi maravilhoso percorrer os diferentes habitats do parque e descobrir animais camuflados pela vegetação.

parque-nacional-donanaparque-donana-matalascanas

Dia 6 – Matalascañas – Faro – Portimão – Alcácer do Sal
Antes de fazermos o check-out do hotel ainda fomos dar os últimos mergulhos na praia. De regresso a Portugal fizemos uma pequena paragem em Faro já a pensar numa futura escapadinha. É que a Ryanair tem voos do Porto para Faro a preços bem simpáticos.

Quando estávamos a passear junto à praia lembramo-nos de umas sardinhas deliciosas que tínhamos comido há uns anos em Portimão e quando demos por nós, estávamos a fazer um desvio para jantar em Portimão.

sardinhas-portimao
É claro que saímos tarde do restaurante e atravessar o Alentejo de noite depois de um repasto não foi agradável. A boa notícia é que os nossos filhos adormeceram rapidamente, aliás o mais novo nem acordou quando chegámos a Alcácer do Sal.

Dia 7 – Alcácer do Sal – Porto
Nesta altura só queríamos chegar rapidamente a casa. Acusávamos o cansaço da viagem e no dia seguinte regressávamos ao trabalho.

Nos próximos dias prometemos publicar as nossas impressões de Matalascañas, El Rocío e Parque Doñana, assim como as melhores dicas para sobreviver a uma road trip com crianças.

Não encontrou o que procura? Envie-nos um e-mail ou deixe um comentário. Teremos todo o gosto em ajudar!