Browsing Tag

Viajar com crianças

0

Berlengas com crianças | Dicas de viagem

Viagem às Berlengas com crianças

Hoje vamos dar-lhe algumas dicas para que uma viagem às Berlengas com crianças decorra da melhor maneira possível. Se não viu o artigo anterior sobre a nossa viagem às Berlengas, aconselho-o a dar uma espreitadela.

Principais dificuldades que sentimos na nossa viagem às Berlengas com crianças

Enjoos na viagem de barco

Nós estamos habituados a andar de barco e eu não liguei quando me disseram para ter atenção aos enjoos. Fiz mal porque a viagem de barco não correu muito bem, portanto, aconselhe-se com o pediatra do seu filho acerca de medicação para o enjoo.

Calçado adequado

Nós fizemos um grande percurso a pé pelos trilhos da ilha, atravessámos pontes sem proteção e subimos degraus em ravinas. Não existe proteção em muitos locais pelo que é imprescindível que as crianças tragam calçado adequado para evitar acidentes.

Atenção à hidratação

Nós estivemos nas Berlengas em agosto, numa altura de bastante calor. Levámos connosco água e percebemos que por causa do calor e do grande percurso que fizemos a pé, transpirámos bastante pelo que é importante ter atenção à hidratação. É claro que as crianças são mais sensíveis e requerem cuidados redobrados.

Proteja-se do sol

O arquipélago tem apenas vegetação rasteira que não protege do sol. Portanto, o uso de chapéu e protetor solar são recomendados a todos, em especial às crianças.

Leve alguns snacks consigo

Se vai passar algumas horas no arquipélago é aconselhável levar snacks para quando a fome apertar. No entanto, existe um café/restaurante junto ao cais.

Esperamos que as dicas que aqui indicamos o ajudem na sua viagem com crianças mas se tiver alguma dúvida que gostaria de ver esclarecida, por favor deixe um comentário. Temos todo o gosto em ajudar!

Por último, para ficar a par das nossas viagens aconselhamos que nos siga no  facebook e no instagram.

0

Viajar com crianças para Malta

viajar com crianças para Malta

Viajar com crianças para Malta não é complicado mas há algumas dicas que podem facilitar a sua viagem com os mais pequenos.

Para quem não nos acompanha regularmente, nós temos dois filhos, agora com quinze e seis anos, que sempre viajaram connosco. Temos, portanto, quinze anos de experiência acumulada de viagens com crianças!

Viajar com crianças para Malta

Viagem de avião

Existem voos diretos para Malta tanto de Lisboa como do Porto.

Nós viajámos com a Ryanair, saímos do aeroporto Francisco Sá Carneiro no Porto às 19:45 com destino ao Aeroporto Internacional de Malta localizado em Luqa onde chegámos às 23:59.

Apesar de não ser uma viagem longa foi uma viagem ao fim do dia e coincidiu com a hora de jantar, o que para quem viaja com crianças pode ser problemático. Nós jantámos no aeroporto antes de embarcarmos e levámos barrinhas de cereais e bolachas para a viagem.

No regresso saímos às 17:00 e chegámos ao Porto às 19:20. Também levámos para a viagem barrinhas de cereais e bolachas.

Alimentação

A comida em Malta não é muito diferente da nossa. Os nossos filhos não reclamaram da comida, aliás, a nossa família ganhou algum peso e, realmente, não havia nada de muito diferente do que encontramos em Portugal.

Tenha apenas em atenção que o clima é muito quente e é fácil desidratar. Certifique-se que oferece bastante água aos seus filhos.

Atividades para crianças

É normal que as crianças prefiram um dia na piscina do que um dia a percorrer ruas cheias de gente. Para que possa visitar convenientemente Malta, e acredite que Malta tem muito para ver, sugerimos que alterne dias de praia ou piscina com dias mais culturais. Assim agrada a toda a gente.

Além disso, em Malta existe um parque de diversões que provavelmente vai colocar sorrisos nas caras de adultos e crianças. Serviu de cenário ao filme do Popeye e chama-se Popeye Village.

Precauções diversas

Em Malta vai sentir muito calor, aconselhamos a levar vestuário e calçado condizentes com dias bastante quentes. No entanto, à noite fica mais frio, leve também um agasalho.

Além disso, protetor solar é obrigatório por razões óbvias.

A última dica tem que ver com alforrecas. Existem vários tipos de alforrecas em Malta mas nem todas são perigosas. Em algumas praias existem sinais com imagens das alforrecas que indicam quais são perigosas.

Eu preferi não arriscar e quando ouvia a palavra alforreca não me aproximava da água. De vez em quando elas aparecem junto à costa, principalmente em dias com bastante vento. Isto aconteceu-nos na Blue Lagoon em Comino, vimos várias pessoas aos gritos com queimaduras de alforrecas.

Muito importante, já tem o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença? Para todos os membros da família? É conveniente que o leve consigo para uma viagem a Malta.

Aproveite para ver as nossas dicas como sobreviver a viagens com crianças e o nosso roteiro para uma semana em Malta!

Por último, não encontrou o que procura? Envie-nos um email ou deixe um comentário. Temos todo o gosto em ajudar! E já sabe, não se esqueça de nos seguir no facebook instagram!

Viajar com crianças para Malta

3

Viajar com crianças | viagens de cruzeiro.

viajar-crianças-cruzeiro

Nós viajamos sempre em família, o que significa que os nossos filhos (agora com seis e quinze anos), mesmo quando eram pequenos, sempre viajaram connosco. Portanto, podemos dizer que temos bastante experiência de viagens com crianças. E com base na nossa experiência não temos dúvidas em afirmar que as viagens de cruzeiro são a melhor forma de viajar com crianças de qualquer idade.

Por favor tenha em atenção que nós fizemos duas viagens de cruzeiro, uma em 2016 no MSC Orchestra no Mar Mediterrâneo e outra em 2017 no MSC Divina nas Caraíbas. Isto significa que a nossa opinião é baseada apenas na nossa experiência com a Companhia de Cruzeiro MSC, mas imagino que as condições para as crianças não variem muito noutras Companhias.

Crianças apenas pagam taxas ou pagam uma tarifa muito reduzida.

Enquanto que nas viagens de avião as crianças pagam a totalidade do bilhete ou têm um pequeno desconto, nas viagens de cruzeiro os mais novos pagam apenas as taxas ou uma tarifa muito baixa.

Veja bem as condições do cruzeiro que lhe interessar pois por vezes duas crianças podem usufruir de condições especiais de desconto.

Refeições especiais nos restaurantes buffet e À La Carte.

Se os seus filhos não fazem birra na hora da refeição, ainda bem. Mesmo assim é tranquilizante saber que existem refeições pensadas para os mais pequenos. E o mais engraçado é ver adultos visitarem regulamente o cantinho preparado para as crianças.

Cabines familiares e/ou comunicantes.

Grande parte dos quartos de hotel foi pensada para uma ocupação dupla, podendo acrescer uma cama extra para uma criança. A situação complica-se quando a família aumenta. Não imagina a dificuldade que é conseguir um quarto para nós os quatro.

Felizmente nos dois cruzeiros que fizemos pudemos ficar na mesma cabine de forma muito cómoda. Mas para famílias maiores que não pretendam ficar em quartos separados existe a possibilidade de reservar quartos comunicantes com descontos consideráveis.

Clubes infantis e teen grátis.

Sabia que se reservar um tour pela MSC pode deixar os seus filhos no navio nos clubes infantis? E não vai pagar mais por isso.

Nós fazemos questão de viajar em família, isto significa que se sairmos num tour vai a família toda junta. No entanto sei que o nosso filho mais novo não aproveitou a visita que fizemos, por exemplo, a Olímpia.

Os clubes infantis e teen têm um horário de funcionamento bastante alargado. Alguns pais deixavam os filhos no clube de manhã e só se juntavam novamente depois do jantar. Pode parecer exagerado mas a verdade é que nos cruzámos com estes grupos de crianças e não vi ninguém triste. Todos pareciam muito divertidos.

Por último, saiba que publicamos conteúdo novo no facebook  e no instagram e as mais recentes promoções de viagens são publicadas no grupo Ofertas de VIAGENS. Já nos segue por lá?

0

Dicas para viajar com crianças para Hong Kong.

Dicas para viajar com crianças para Hong Kong. Quando comunicámos aos nossos amigos e familiares que íamos a Hong Kong a primeira coisa que nos perguntaram foi: Os miúdos também vão? Não sei bem porquê mas acharam que por ser uma viagem longa os nossos filhos ficariam com os avós. Pois nós queremos viajar em família, é um tempo maravilhoso que não estamos dispostos a abdicar. Mas é claro que temos algumas preocupações.

Os nossos filhos já não são bebés, o mais novo na altura tinha cinco canos (fez seis quando regressámos de Hong Kong) e o mais velho tem quinze.

Dicas para viajar com crianças para Hong Kong

As nossas preocupações principais eram o tempo de voo, a alimentação e a gestão do cansaço.

Tempo de voo

Trinta e duas horas de voo no espaço de uma semana. Catorze horas na ida para Hong Kong com escala em Londres e dezoito horas no regresso com escala em Madrid. O tempo das escalas (acrescentar) serviu para nos deslocarmos de um terminal para outro e passearmos um bocadinho, sem correrias mas também sem nos preocuparmos em “fazer horas”.

Contas feitas, saímos do Porto às 08:55 da manhã de domingo e chegámos a Hong Kong por volta das 07:00 da manhã de segunda-feira. No regresso, saímos de Hong Kong às 00:50 de domingo e chegámos ao Porto às 11:40 da manhã do mesmo dia. Foram muitas horas dentro de aviões.

O que fizemos para ultrapassar esta situação?

Aproveitar o tempo dentro do avião. Levámos consolas, fizemos passeios no corredor do avião, comemos rebuçados que levámos de casa, dormimos e conversámos. Pense bem, não acha que passa pouco tempo com os seus filho? Eu acho que todo o tempo com eles é pouco e o tempo que se passa dentro de um avião pode muito bem ser aproveitado para conversar. De preferência conversas a dois.

Em casa costumamos estar sempre os quatro mas no avião, como estamos sentados uns ao lado dos outros não dá muito jeito falarmos em conjunto e acaba por ser normal que as conversas a dois surjam. Ao final de algum tempo mudamos de lugar e todos têm oportunidade de falar com todos. Os laços familiares saem reforçados.

Alimentação

Nós damos muita importância à gastronomia local quando viajamos mas deixa de ter piada quando pedimos três ou quatro coisas que não conseguimos comer. É um desperdício de comida e dinheiro.

O nosso filho mais novo, coitado, quase não provou a comida quando visitámos a estátua do Buda Sentado porque a refeição era vegetariana e o que pedíamos nos restaurantes nem sempre era do seu agrado.

viajar-com-crianças

O que fizemos para ultrapassar esta situação?

Dar muita importância ao pequeno-almoço. As opções de pequeno-almoço no nosso hotel eram variadas (torradas, croissants, pães, iogurtes, fruta, enfim, aqueles alimentos que estamos habituados a comer à primeira refeição da manhã). Insisti sempre para que comessem bem ao pequeno-almoço pois não sabíamos como seriam as restantes opções durante o dia.

Além disso, todos participavam na escolha do restaurante. Antes de entrarmos em qualquer restaurante todos diziam o que achavam. Este foi um truque traiçoeiro porque na maioria das vezes eu já tinha pesquisado o restaurante e sabia mais ou menos o que nos esperava. É claro que também me enganei e algumas escolhas foram muito más. Nessas alturas recorremos ao McDonals ou comprámos waffles na rua.

street-food-hong-kong

O que costumamos fazer em todas as viagens é comprar snacks no supermercado. Tenha em atenção que os supermercados são pequenos, aliás, como todas as lojas em Hong Kong, mas comprámos bolachas, chocolates e água que tínhamos connosco para situações mais críticas.

Gestão do cansaço

Nós queríamos visitar muitas coisas mas achamos que era difícil aguentar um ritmo acelerado todos os dias. Já reparou na quantidade de lugares que visitámos?

O que fizemos para ultrapassar esta situação?

Marcámos tours organizados em dias específicos quando as deslocações por nossa conta eram demoradas ou complicadas.

Compreendo que alguns viajantes fujam destes grupos a sete pés porque são dispendiosos e dão pouca liberdade mas, convenhamos, são muito cómodas. Então, para quem viaja com crianças são, muitas vezes, a salvação.

Os miúdos estão cansados? Que durmam no autocarro. Estão aborrecidos? Que joguem consola, os adultos podem continuar a aproveitar a viagem. E o que me deixa espantada é que os nossos filhos costumam ser as únicas crianças nesses tours, então os restantes membros do grupo esforçam-se por interagir com eles, fazem-lhes perguntas, dizem que têm filhos/sobrinhos/netos da mesma idade e que sentem a falta deles, comentam a interação entre os irmãos, elogiam como são bem comportados (meu Deus, se soubessem a verdade!), enfim, adotam os rapazes que se sentem as estrelas do grupo.

viajar-com-crianças

Lembra-se das nossas dicas para roadtrips? Imagino que cada família tenha as suas próprias dicas e truques para sobreviver a viagens com crianças. Partilhe connosco a sua opinião!

Não encontrou o que procura? Envie-nos um email ou deixe um comentário. Temos todo o gosto em ajudar! E pode consultar os artigos que já publicámos sobre Hong Kong aqui.

11

Road trip |sobreviver a 1500 kms com crianças.

Como-sobreviver-a-uma-road-trip-com-crianças

Os nossos filhos têm 14 e 5 anos respetivamente e sempre viajaram connosco.
Com o tempo aprendemos que tanto crianças pequenas como as mais crescidas conseguem tirar um adulto do sério de vez em quando.

Cada um saberá a melhor forma de lidar com a prole mas reconheço que algumas dicas que fui lendo em blogues realmente resultam e tornam a viagem menos stressante.

Em primeiro lugar, acreditamos que as viagens são momentos especiais em que criamos memórias e fortalecemos os laços enquanto família. Fomos incutindo este espírito aos nossos filhos e com o tempo perceberam que não podem comportar-se de forma a dificultar a viagem. Portanto, gritos e birras não combinam com viagens.

Por outro lado, em viagem somos tolerantes em relação a outras coisas: eles podem ficar acordado até tarde, beber refrigerantes, comer fast food e ficar horas no tablet ou a jogar Nintendo.

Como-sobreviver-a-uma-road-trip-com-criançasComo-sobreviver-a-uma-road-trip-com-crianças

Nesta road trip em particular não fizemos muitos kms seguidos com os miúdos acordados, o que nos facilitou muito. É normal dividirmos o percurso em trechos com pernoitas a meio do caminho para não nos cansarmos em demasia e as paragens nas estações de serviço para correr e brincar são obrigatórias.

Como-sobreviver-a-uma-road-trip-com-crianças

As possíveis fontes de conflito são eliminadas de raiz. Isto significa que se os rapazes não se entenderam quando estão a jogar o mesmo jogo eles sabem que os pais lhes tiram o jogo. E não há apelo possível. Pode parecer excessivo mas tem resultado.

Por sorte as esquisitices na hora das refeições terminaram há uns anos no Luxemburgo mas temos sempre connosco um saco de gomas que funcionam como recompensa. Nunca imaginei que um saco de doces pudesse ter tanto poder. Eles anseiam a oportunidade de se portarem bem para comer uns docinhos.

O tempo dentro do carro foi passado a conversar e a fazer jogos. Fazemos equipas de dois pois os adultos também entram na brincadeira. Os km parecem que são percorridos mais rapidamente quando estamos à procura de carros amarelos ou pontes por cima da autoestrada.

Com viagens tão facilitadas quem sabe daqui a uns tempos fazemos uma road trip de várias semanas pela Europa 🙂

Tem outras dicas para partilhar connosco? Por favor deixe o seu comentário.