O que fazer em Veneza (2024): melhores lugares a visitar

O que fazer e visitar em Veneza, Itália.
Índice do artigo

Atualizado em: Maio 20, 2024

Procura dicas de o que fazer e visitar em Veneza este ano? Então está no sítio certo! Neste artigo, reunimos todas as informações que precisa sobre as principais atrações turísticas, os melhores lugares para visitar, restaurantes imperdíveis, opções de hospedagem e incríveis passeios saindo de Veneza.

Há quem lhe chame “A cidade dos Canais”, “A Cidade das Águas” ou “A Sereníssima”, Veneza é uma cidade construída sobre a água e uma das cidades mais fascinantes e românticas do mundo.

Aliás, é a segunda cidade mais visitada de Itália, com cerca de 100 ilhas interligadas por mais de 400 pontes e 150 canais com cursos de água sinuosos.

Sem carros os estradas, todos se deslocam de barco e a pé, inclusive as 20 milhões de pessoas que visitam a Veneza todos os anos.

Portanto, neste artigo, vamos explorar as melhores dicas de o que fazer em Veneza, incluindo lugares que costumam ficar fora dos roteiros dos turistas.

Em jeito de resumo, ao visitar Veneza, a majestosa Praça de São Marcos é um ponto de partida obrigatório.

Aqui, poderá admirar a imponente Basílica de São Marcos, o campanário e a Torre do Relógio. Mas também o Palácio Ducal, que com a sua arquitetura deslumbrante, é outro destaque cultural.

Além das atrações principais, exploraremos locais como o Mercado do Rialto para compras do dia a dia, a icónica Ponte do Rialto, e uma serena viagem pelo Grande Canal de Vaporetto ou de gôndola veneziana.

Não esqueceremos as ilhas de Burano e Murano, vizinhas de Veneza, conhecidas pelas rendas e vidro artesanal, respetivamente.

Preparamos também um guia completo sobre a Acqua Alta, o fenómeno das marés altas, para garantir que a sua visita seja memorável e sem contratempos.

Enfim, aqui deixo o meu convite para explorar Veneza comigo, desvendando os encantos desta cidade única.

O que fazer e vistar em Veneza, Itália

Lugares a visitar em Veneza: uma das cerca de 400 pontes da cidade.
Lugares a visitar em Veneza: uma das cerca de 400 pontes da cidade.
Recantos em Veneza: conhecer os canais e descobrir locais menos explorados.
Recantos em Veneza: conhecer os canais e descobrir locais menos explorados.

Conhecer a Praça de São Marcos

O que fazer em Veneza: explorar a Praça de São Marcos.
O que fazer em Veneza: explorar a Praça de São Marcos.
Praça de São Marcos, La Piazza, num dia de chuva.
Praça de São Marcos, La Piazza, num dia de chuva.

A Praça de São Marcos, localizada no coração de Veneza, é um dos lugares mais icónicos e visitados da cidade.

Conhecida como “La Piazza” pelos venezianos, esta praça é famosa pela sua majestosa beleza e pela riqueza histórica e cultural que representa.

A Basílica de São Marcos, um impressionante exemplo de arquitetura bizantina, domina a praça, ao mesmo tempo que proporciona uma vista deslumbrante de mosaicos dourados e cúpulas meticulosamente trabalhadas.

Além disso, ao lado da basílica, encontra-se o Campanário de São Marcos. Se tiver coragem para subir os seus degraus, será recomepnsado com uma vista panorâmica sobre Veneza e a sua lagoa.

Outro destaque é o Palácio Ducal, uma obra-prima gótica que já foi a residência oficial dos doges de Veneza. A praça é também rodeada pelas Procuratie Vecchie e Nuove, edifícios históricos que albergam elegantes cafés e lojas.

Os famosos cafés, como o Caffè Florian e o Caffè Quadri, são pontos de encontro populares onde se pode desfrutar de um café ou uma refeição enquanto se observa o movimento e a música das orquestras ao ar livre.

Durante o carnaval, a Praça de São Marcos transforma-se no epicentro das festividades, com mascarados e eventos que atraem visitantes de todo o mundo.

Visitar a Basílica de São Marcos

Basílica de São Marcos, em Veneza.
Basílica de São Marcos, em Veneza.
Fila de turistas para entrar na Basílica de São Marcos, em Veneza.
Fila de turistas para entrar na Basílica de São Marcos, em Veneza.
Detalhe da Basílica de São Marcos.
Detalhe da Basílica de São Marcos.

A Basílica de São Marcos é a mais famosa das igrejas venezianas e um dos marcos históricos mais significativos de Veneza.

Construída em estilo bizantino, a basílica atual foi consagrada em 1094 e tem servido como sede da arquidiocese católica romana de Veneza desde então.

A fachada deste edifício está decorada com mosaicos, mármores e colunas que foram trazidas de diversas partes do mundo, o que reflete o poder e a riqueza da antiga República de Veneza.

Dentro da Basílica de São Marcos, os visitantes podem ver os mosaicos dourados que cobrem as paredes e os tetos, formando cenas bíblicas que são verdadeiras obras-primas de arte bizantina.

Outro destaque é o Pala d’Oro, um retábulo de ouro incrustado de pedras preciosas.

É difícil não notar o majestoso Campanário de São Marcos ao lado da Basílica, pois este monumento icónico sobressai na paisagem veneziana pela sua altura. Com 98,5 metros, é o edifício mais alto de Veneza e tem uma vista panorâmica espetacular da cidade e da lagoa.

O campanário, conhecido localmente como “El Paron de Casa” (O Senhor da Casa), desempenhou várias funções ao longo da história, incluindo um farol para navegadores e uma torre de observação militar.

Hoje, é uma atração turística popular, onde os visitantes podem subir (ou usar o elevador) até ao topo e desfrutar das vistas deslumbrantes de Veneza. Coloque na sua lista de o que fazer e ver em Veneza!

Ver a Torre do Relógio de São Marcos (o famoso Campanário de São Marcos)

O que fazer e visitar em Veneza: subir ao campanário e Torre do Relógio de São Marcos.
O que fazer e visitar em Veneza: subir ao campanário e Torre do Relógio de São Marcos.
Campanário e Torre do Relógio de São Marcos, em Veneza.
Campanário e Torre do Relógio de São Marcos, em Veneza.

A Torre do Relógio de São Marcos, também conhecida como Campanário de São Marcos, localizada na Praça de São Marcos, é uma maravilha arquitetónica e um dos símbolos mais reconhecíveis da cidade.

No interior da torre, está em funcionamento um museu que ilustra a história tanto do edifício como do próprio relógio.

Os visitantes podem explorar os mecanismos do relógio, que inclui figuras automatizadas dos Três Reis Magos e do Anjo Gabriel, que surgem em dias especiais para saudar a Virgem Maria.

Além disso, as famosas estátuas de bronze conhecidas como “Mori” (os mouros) tocam o sino no topo da torre, marcando as horas com precisão desde o século XV.

Ao comprar o bilhete para a Torre do Relógio, os visitantes podem entrar gratuitamente no Museu Correr, no Museu Arqueológico Nacional e nas Salas Monumentais da Biblioteca Marciana.

O Museu Correr é importante para quer que ter uma visão abrangente da história e da arte veneziana, desde a era medieval até ao século XIX, enquanto que o Museu Arqueológico Nacional tem uma rica coleção de antiguidades gregas e romanas.

Por fim, as Salas Monumentais da Biblioteca Marciana mostram manuscritos e obras de arte raras.

Conhecer o Palácio Ducal, ou o Palácio do Doge

O que fazer em Veneza: visitar o Palácio Ducal.
O que fazer em Veneza: visitar o Palácio Ducal.
Entrada para o Palácio Ducal, em Veneza. O Palácio dos Doges.
Entrada para o Palácio Ducal, em Veneza. O Palácio dos Doges.

O Palácio Ducal, situado na Praça de São Marcos em Veneza, é um importante monumento que transporta os visitantes para a época dos doges e da Sereníssima República de Veneza.

Com a sua fachada ornamentada e arcadas elegantes, este edifício gótico já foi a residência oficial dos doges, os líderes de Veneza, bem como o centro administrativo e judicial da cidade.

Se tiver a oportunidade de entrar neste palácio, será recebido pelo Pátio de Honra, onde se destaca a Escadaria dos Gigantes, guardada por estátuas de Marte e Netuno, símbolos de poder e força.

Causa um grande impacto esta entrada majestosa!

Além disso, o percurso pelo interior do palácio dos doges revela uma série de salas sumptuosas, como a Sala del Maggior Consiglio, que é a maior sala do palácio, adornada com pinturas de artistas famosos como Tintoretto e Veronese.

Outro aspecto interessante na visita ao Palácio Ducal, é a possibilidade de atravessar a famosa Ponte dos Suspiros, que liga o Palácio Ducal às prisões.

Se quer compreender a grandeza e complexidade da antiga república, acredito que vá retirar bastante valor de uma visita ao Palácio Ducal.

Fazer compras no Mercado do Rialto

Vendedor no Mercado de Rialto, em Veneza.
Vendedor no Mercado de Rialto, em Veneza.
Mercado do Rialto.
Mercado do Rialto.

Nós temos um fascínio especial por mercados locais, já que são lugares cheios de vida, coloridos e com muita energia.

O Mercado do Rialto, como o nome indica, fica na zona do Rialto, um dos bairros mais antigos e históricos de Veneza. Este mercado é um verdadeiro tesouro para quem quer mergulhar na cultura local e viver uma experiência autêntica veneziana.

O Mercado do Rialto remonta ao século XI e tem sido o coração comercial de Veneza por quase um milénio. Originalmente, era o principal ponto de troca de mercadorias entre o Oriente e o Ocidente, o que o transformou num dos mercados mais importantes da Europa.

Hoje, ele continua a ser um local vibrante onde os venezianos fazem as suas compras diárias e os turistas vão tirar fotografias.

E que tipo de alimentos tem o mercado do Rialto? Pode contar em ver bancas com produtos frescos, como por exemplo frutas, legumes, ervas aromáticas, especiarias, queijos, e charcutaria, até peixes e mariscos recém-pescados na lagoa veneziana.

Além disso, é o local perfeito para encontrar ingredientes típicos da cozinha veneziana, como o radicchio de Treviso, o espargo branco e de peixes locais como o “branzino” (robalo) e o “seppie” (choco).

Uma das histórias mais interessantes associadas ao Mercado do Rialto é a lenda do “Gobbo di Rialto” (Corcunda de Rialto). Esta estátua, situada nas proximidades do mercado, era usada como um púlpito onde se liam decretos públicos e anúncios oficiais. Os criminosos também eram obrigados a beijar a estátua como forma de penitência.

Ao terminar as suas compras, aproveite para explorar as proximidades. A Ponte de Rialto, a mais antiga e icónica ponte sobre o Grande Canal e nos arredores, encontrará lojas, cafés e restaurantes.

Caminhar sobre a Ponte do Rialto

O que fazer em Veneza, Itália: ver a Ponte do Rialto.
O que fazer em Veneza: ver a Ponte do Rialto.
Restaurante perto da Ponte do Rialto, em Veneza.
Restaurante perto da Ponte do Rialto, em Veneza.
Passar por baixo da Ponte do Rialto, de Vaporetto.
Passar por baixo da Ponte do Rialto, de Vaporetto.

Caminhar sobre a Ponte do Rialto é uma das experiências mais emblemáticas que se pode ter em Veneza, e por isso, deve fazer parte da sua lista de o que fazer e visitar em Veneza.

Esta ponte, a mais antiga e icónica da cidade, atravessa o Grande Canal e liga os distritos de San Marco e San Polo.

A Ponte do Rialto, construída em madeira no século XII, foi reconstruída em pedra entre 1588 e 1591, projetada pelo arquiteto Antonio da Ponte.

Esta obra-prima da engenharia renascentista tem um arco elegante e robusto, que se tornou um símbolo de resiliência e inovação. A ponte mede cerca de 48 metros de comprimento e 22 metros de largura, com duas rampas inclinadas que conduzem a um pórtico central.

Além disso, a ponte é ladeada por uma série de lojas que vendem desde joias até os típicos souvenirs como imanes para o frigorífico, roupa e artesanato.

Historicamente, a Ponte do Rialto foi o centro do comércio veneziano, com o Mercado do Rialto localizado nas proximidades.

Para além da sua importância comercial, a Ponte do Rialto é também um ponto de encontro cultural e social. Durante séculos, venezianos e visitantes de todo o mundo reuniram-se aqui para trocar histórias, fechar negócios e apreciar a beleza da cidade.

Uma das histórias mais fascinantes ligadas à Ponte do Rialto é a lenda de sua construção. Diz-se que Antonio da Ponte fez um pacto com o diabo para garantir que a ponte resistisse ao colapso, uma vez que as tentativas anteriores de construção falharam repetidamente.

Percorrer o Grande Canal de Vaporetto

O que fazer em Veneza: percorrer o Grande Canal de Vaporetto.
O que fazer em Veneza: percorrer o Grande Canal de Vaporetto.
A bordo do Vaporetto, no Grande Canal de Veneza.
A bordo do Vaporetto, no Grande Canal de Veneza.
Ver Veneza a partir da Lagoa. Andar de Vaporetto.
Ver Veneza a partir da Lagoa. Andar de Vaporetto.

Percorrer o Grande Canal de vaporetto é uma das experiências mais inesquecíveis em Veneza, na minha opinião. Embora o custo possa parecer elevado, acredito que vale a pena pela vista deslumbrante da cidade a partir da sua principal via aquática.

Além disso, é mais barato do que um passeio de gôndola!

O vaporetto é o sistema de transporte público de barcos de Veneza e uma forma conveniente de explorar a cidade.

Ao longo do trajeto pelo Grande Canal, é possível ver uma série de edifícios históricos, palácios majestosos e pontes icónicas, incluindo a famosa Ponte de Rialto.

Começando na Piazzale Roma ou na estação de Santa Lucia, o vaporetto leva os passageiros por um percurso que atravessa o coração de Veneza.

Estação de Santa Lucia, em Veneza.
Estação de Santa Lucia, em Veneza.
Grande Canal com a Basílica de Santa Maria della Salute ao fundo.
Grande Canal com a Basílica de Santa Maria della Salute ao fundo.

Os palácios góticos e renascentistas que ladeiam o canal contam a história de uma cidade que foi um dos centros de comércio mais importantes do mundo.

Entre eles estão o Ca’ d’Oro, um dos mais belos palácios góticos, e o Palazzo Grassi, que atualmente funciona como museu com exposições de arte contemporânea.

Ao longo do percurso, passará também por atrações icónicas como a Basílica de Santa Maria della Salute, construída no século XVII em agradecimento pelo fim de uma devastadora peste, e o esplêndido Palazzo Venier dei Leoni, que hoje tem a Coleção Peggy Guggenheim.

Para uma experiência ainda mais especial, recomendo fazer o percurso ao entardecer, quando a luz do sol poente confere um brilho mágico aos edifícios históricos e às águas do canal.

Andar de gôndola veneziana, ou ver as gôndolas a passar no canal

O que fazer em Veneza: andar de gôndola pelos canais.
O que fazer em Veneza: andar de gôndola pelos canais.
Gôndolas a atravessar a Ponte dos Suspiros, em Veneza.
Gôndolas a atravessar a Ponte dos Suspiros, em Veneza.

As gôndolas são embarcações tradicionais, usadas há séculos, em Veneza.

Têm uma forma alongada e elegante, projetada para navegar nos canais estreitos de Veneza. Feitas à mão, cada gôndola tem detalhes únicos e uma estrutura assimétrica para facilitar a navegação.

Estas embarcações são populares por causa do seu charme e história. De facto, andar de gôndola em Veneza é uma atividade romântica e popular, proporcianando um passeio com uma perspetiva diferente da cidade.

No entanto, é uma experiência dispendiosa! O preço pode variar, mas uma viagem de 30 minutos pode custar entre 80 a 100 euros.

Além do preço, há curiosidades interessantes sobre as gôndolas. Originalmente, eram coloridas e decoradas, mas uma lei do século XVII determinou que todas fossem pintadas de preto para evitar competições extravagantes entre os gondoleiros.

Os gondoleiros, ou seja, os condutores das gôndolas, são profissionais altamente treinados. Passam por rigorosos exames para obter a licença. Curiosamente, até recentemente, todos os gondoleiros eram homens. Em 2010, Giorgia Boscolo tornou-se a primeira mulher gondoleira licenciada em Veneza.

Durante a viagem, o gondoleiro pode contar histórias e lendas sobre Veneza, mas também é comum ouvir os gondoleiros a cantar ou a recitar poemas.

Se não quiser gastar tanto, pode simplesmente observar as gôndolas a passar. Para isso, sente-se numa das pontes do Grande Canal ou margens da Lagoa de Veneza e observe as gôndolas a deslizar pelas águas.

As gôndolas desempenham um papel essencial no transporte e turismo de Veneza, portanto, se visitar Veneza, não perca a oportunidade de ver ou andar numa gôndola.

Visitar as Ilhas de Burano e Murano

Workshop máscaras venezianas.
Workshop máscaras venezianas.
Loja de máscaras venezianas em Murano.
Loja de máscaras venezianas em Murano.
Comprar souvenirs em Burano, Itália.
Comprar souvenirs em Burano, Itália.

Burano e Murano são duas ilhas situadas nas proximidades de Veneza, cada uma com características únicas que as tornam destinos imperdíveis para quem visita a região.

A viagem de barco até estas ilhas é uma experiência agradável, já que é uma oportunidade única para observar Veneza a partir da água, bem comover a lagoa veneziana.

Murano é mundialmente famosa pela sua tradição na fabrico de vidro, que remonta ao século XIII.

Aproveite para explorar as várias fábricas de vidro de Murano, onde os artesãos mostram as suas técnicas de sopro e modelagem que foram aperfeiçoadas ao longo dos séculos.

Além disso, há muitas lojas onde pode comprar peças de artesanato únicas, feitas com a qualidade e o estilo inconfundíveis do vidro de Murano.

Burano, por outro lado, é conhecida pelas suas casas coloridas e pela produção de renda.

Além das visitas às fábricas de vidro e às casas coloridas, outro atrativo imperdível são as máscaras venezianas, que pode encontrar em diversas lojas tanto em Murano quanto em Burano. Estas máscaras, tradicionalmente usadas durante o Carnaval de Veneza, são belíssimos exemplos de artesanato local.

Ou seja, se procura um souvenir típico para levar para casa, as máscaras venezianas são uma excelente opção. Aliás, em algumas lojas, pode até ter a oportunidade de pintar e decorar a sua própria máscara, tornando o souvenir ainda mais especial.

A nossa experiência em Veneza

Estação de Santa Lucia, em Veneza. Ir para Veneza de comboio.
Estação de Santa Lucia, em Veneza. Ir para Veneza de comboio.
Museo di Storia Naturale di Venezia Giancarlo Ligabue.
Museo di Storia Naturale di Venezia Giancarlo Ligabue.
Ruas de Veneza. Como não se perder.
Ruas de Veneza. Como não se perder.
Monumentos a visitar em Veneza, Itália.
Monumentos a visitar em Veneza, Itália.
Praça de São Marcos inundada.
Praça de São Marcos inundada.

Veneza recebeu-nos com um sol radioso, mas não nos passou pela cabeça que iríamos terminar o dia num cenário de Veneza inundada.

O nosso principal receio era perdermo-nos naquele emaranhado de ruas estreitas e becos sem saída pois em certas vielas apenas cabia uma pessoa de cada vez.

Felizmente percebemos que nas fachadas dos edifícios existiam placas com indicações para três pontos-chave na ilha: Estação de Santa Lucia, Rialto e Praça de São Marcos.

Como o nosso ponto de partida e de chegada era a Estação de caminhos de ferro Santa Lucia, não deveria ser difícil encontrar o rumo em Veneza.

Estávamos na Praça de São Marcos quando começou a chover. A princípio, umas gotas tímidas, mas de repente uma cascata de água desabou dos céus e inundou tudo.

Abrigámo-nos nos arcos que rodeiam a praça e que dão acesso a lojas.

Rapidamente a água acumulou-se, os lojistas habituados a estas andanças arrumaram os tapetes das entradas das lojas, alguns fecharam as portas e nós ficámos encurralados entre as paredes e o lago que se formou à nossa frente.

Alojamento em Veneza

Albergo Cavalletto & Doge Orseolo.
Albergo Cavalletto & Doge Orseolo.

No que diz respeito aos hotéis em Veneza, devo dizer-lhe que já fiquei no centro e já fiquei em Mestre, a alguns quilómetros da cidade, sendo que ambas as soluções têm vantagens e desvantagens.

Isto porque, como os hotéis em Veneza costumam ser bastante dispendiosos, uma alternativa é ficar na vila vizinha de Mestre.

Foi isso que fiz na minha primeira viagem a Veneza, pois para poupar escolhi o Hotel Mondial (3 estrelas). Fica localizado a cerca de 150 metros da estação de comboios de Mestre, que faz ligação ao centro de Veneza.

E realmente foi uma boa escolha, pois paguei quase metade do que iria pagar por um hotel semelhante em Veneza.

Hotéis em Mestre

No entanto, o certo é que queria ter a experiência de ficar a dormir em Veneza, e por essa razão noutra viagem escolhi um hotel no centro.

Então, em Veneza fiquei no Hotel Città Di Milano (3 estrelas) e realmente é muito melhor ficar em Veneza do que em Mestre. Sei que fica bem mais caro o alojamento em Veneza, mas a experiência também é melhor.

Outra opção de hotel no centro de Veneza é o Albergo Cavalletto & Doge Orseolo (3 estrelas).

Hotéis em Veneza

Tudo o que precisa saber antes de ir para Veneza

O que fazer e visitar em Veneza, Itália.
O que fazer e visitar em Veneza, Itália.

Segue-se uma lista de perguntas que considero relevantes para quem visita Veneza pela primeira vez. O intuito destas questões é que tenha toda a informação que precisa para que a sua viagem corra maravilhosamente bem!

Afinal, fazemos um investimento tão grande nas viagens que queremos tirar o máximo partido dela, certo?

Como ir do aeroporto para o centro de Veneza?

Como chegar a Veneza, Itália.
Como chegar a Veneza, Itália.

O Aeroporto Marco Polo (VCE), é a principal porta de entrada para Veneza.

Está situado a cerca de 8 quilómetros da cidade, sendo que existem várias opções de transportes publicas para o centro de Veneza.

Assim, o autocarro nº 5 demora mais ou menos 30-45 minutos para fazer a viagem desde o aeroporto até à Piazzale Roma, no centro de Veneza.

Esta viagem de autocarro custa 8 €.

No entanto, outra alternativa é o autocarro azul da companhia ATVO, que por não ter paragens, é bem mais rápido. Neste caso, a viagem desde o aeroporto de Veneza até ao centro é de aproximadamente 20 minutos e o bilhete também custa 8 €.

É preciso seguro de viagem para Itália?

Primeiro dia em Veneza. Itália.
Primeiro dia em Veneza, Itália.
Veneza inundada. Praça de São Marcos num dia de chuva.
Veneza inundada. Praça de São Marcos num dia de chuva.

Embora não seja obrigatório um seguro de viagem para visitar Itália, é altamente recomendável que o faça.

Isto porque um seguro de viagem típico costuma cobrir despesas médicas em caso de doença ou acidente, o que é particularmente importante considerando os custos elevados dos cuidados de saúde no estrangeiro.

Além disso, pode incluir a cobertura para cancelamento ou interrupção da viagem, perda ou roubo de bagagem, e assistência em situações de emergência, como repatriação.

É certo que os cidadãos da União Europeia podem utilizar o Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD), que dá acesso ao sistema de saúde pública nas mesmas condições que os residentes locais.

No entanto, o CESD não cobre todas as situações, como cuidados de saúde privados, voos de regresso de emergência, ou perdas financeiras devido a cancelamentos de viagem. Por isso, um seguro de viagem completo é uma boa ideia para cobrir esses riscos adicionais.

Eu uso e recomendo a IATI Seguros nas minhas viagens, pois considero que para além de terem coberturas excelentes, ainda têm preços muito atrativos.

Veja quanto custa um seguro de viagem para Itália.

Quanto tempo é preciso para ver Veneza?

Explorar os canais de Veneza.
Explorar os canais de Veneza.

Na minha opinião, dois dias são suficientes para ver os principais pontos turísticos de Veneza.

No entanto, se tiver mais tempo, acredito que não vai ficar aborrecido por caminhar mais uma vez pela multidão na Praça de São Marcos, ou atravessar a Ponte dos Suspiros.

Se for esse o seu caso, existem vários tours de um dia que pode fazer com saída de Veneza, como por exemplo conhecer a Ilha de Burano.

Qual é o nome da Ponte mais famosa de Veneza?

Ponte dos Suspiros, em Veneza.
Ponte dos Suspiros, em Veneza.

A ponte mais famosa de Veneza é a Ponte dos Suspiros, que está ligada a uma história interessante.

Afinal, esta icónica estrutura é um dos marcos mais conhecidos da cidade. A Ponte dos Suspiros liga o Palácio Ducal ao Palazzo delle Prigioni, isto é, às antigas prisões de Veneza, e foi construída em 1600.

O nome “Ponte dos Suspiros” deriva dos suspiros dos prisioneiros que, ao cruzá-la, viam pela última vez a liberdade antes de serem levados para as suas celas.

Ou seja, este trajeto simbolizava o último momento de contemplação da cidade e dos canais antes do encarceramento.

Mas para além da sua história, a Ponte dos Suspiros é particularmente bonita porque foi feita de pedra calcária branca, com janelas pequenas e grades de pedra.

👉Curiosidade: Sabia que a Prigioni Nuove (Palazzo delle Prigioni), ou a antiga prisão de Veneza, foi o primeiro edifício no mundo construído para ser uma prisão?

Qual a melhor época para viajar para Veneza?

Viajar para Veneza na Primavera.
Viajar para Veneza na Primavera.
Enchente de turistas em Veneza, durante o verão.
Enchente de turistas em Veneza, durante o verão.

A melhor época para viajar para Veneza é durante a primavera e o início do outono, especificamente entre abril e junho, e setembro e outubro.

Isto porque nestes meses, o clima é agradável, com temperaturas amenas que variam entre os 15°C e os 25°C, tornando os passeios pela cidade mais confortáveis.

Além disso, estas épocas do ano têm a vantagem de uma menor afluência de turistas comparada aos meses de verão.

Na primavera, Veneza ganha um charme especial com os seus jardins e parques a florescer, e os eventos culturais, como a Bienal de Veneza, começam a animar a cidade.

Já no início do outono, as temperaturas são ainda agradáveis e as águas dos canais brilham sob a luz suave do sol outonal. Este é também o momento ideal para explorar a rica gastronomia veneziana, com pratos típicos como risotos de mariscos e tiramisù, acompanhados dos vinhos locais.

Por outro lado, durante os meses de verão, especialmente em julho e agosto, a cidade costuma ficar lotada de turistas e as temperaturas podem subir significativamente, tornando a experiência menos confortável.

No inverno, embora a cidade tenha um encanto próprio, pode haver nevoeiro e o fenómeno da “acqua alta” (inundações ocasionais), o que pode limitar a mobilidade.

Portanto, para aproveitar ao máximo a beleza e a cultura de Veneza, os meses de primavera e início do outono são, sem dúvida, a melhor escolha.

Onde comer bem e barato em Veneza?

Restaurantes baratos em Veneza, longe dos circuitos turísticos.
Restaurantes baratos em Veneza, longe dos circuitos turísticos.
Gastronomia italiana: comer gnocchi em Veneza.
Gastronomia italiana: comer gnocchi em Veneza.
Refeições económicas em Veneza, Itália: pizza e calzone.
Refeições económicas em Veneza, Itália: pizza e calzone
Comer lasanha em Veneza. Viajar com crianças.
Comer lasanha em Veneza. Viajar com crianças.
Restaurante com esplanada com vista para os canais de Veneza.
Restaurante com esplanada e vista para os canais de Veneza.

Em Veneza, apreciar boa comida sem gastar muito não é uma tarefa difícil, apesar da reputação da cidade como destino turístico.

Para é importante que fuja das áreas mais movimentadas e descubra o lado autêntico da culinária veneziana.

Bares e osterias locais muitas vezes oferecem deliciosas cicchetti, pequenas tapas venezianas, a preços acessíveis. A região de Cannaregio é conhecida por ter opções mais económicas e autênticas.

A minha sugestão é a Trattoria da’a Marisa (Fondamenta S. Giobbe, 652, 30121 Venezia VE, Itália) um restaurante italiano ideal para refeições simples mas cheias de sabor, ou então compre uma pizza a sair do forno por menos de 10 € no Arte Della Pizza (Calle de l’Aseo, 1861A, 30121 Venezia VE, Itália).

Outra dica é explorar os mercados locais, como o Mercato di Rialto, onde vai encontrar produtos frescos e sandes excelentes para um lanche ou almoço leve.

Apesar de a zona do Rialto não ser amigável para orçamentos apertados, o certo é que a área está repleta de pequenos restaurantes e cafés onde pode saborear pratos típicos venezianos, como “sarde in saor” (sardinhas marinadas) e “risotto al nero di seppia” (risoto de tinta de choco).

Muito importante: evite os restaurantes próximos aos pontos turísticos mais famosos, optando pelas ruelas menos movimentadas.

Quando é a Acqua Alta em Veneza?

Acqua Alta em Veneza.
Acqua Alta em Veneza.
Basílica de São Marcos num dia de chuva.
Basílica de São Marcos num dia de chuva.

Acqua Alta, ou Água Alta, é um fenómeno que acontece várias vezes por ano e que faz com Veneza fique inundada.

Ocorre, normalmente em outubro e novembro, quando as águas da maré alta inundam várias zonas de Veneza.

A primeira parte a ser afetada costuma ser a Piazza San Marco, quando a água inunda não só a praça, mas também as lojas, cafés, restaurantes e os monumentos.

Nem a Basílica de São Marcos escapa ao aumento do nível das águas do mar, que invadem Veneza sem dó nem piedade.

O certo é que apesar de a Acqua Alta ter-se tornado uma atração turística, os prejuízos no património, bem como os inconvenientes de quem está na cidade são muitos.

Leia também:

Viajar em família, de forma frequente, com algum conforto e sem ir à falência! Somos uma Família Portuguesa a viajar pelo mundo e partilhamos tudo em passaportenobolso.com. Aqui encontra muitas dicas de viagem, bem como informações práticas sobre vários destinos na Europa, África, Ásia e América. Visitei +30 países e não planeio parar tão cedo. De vez em quando viajo sozinha… Acompanhe tudo no Instagram / Facebook / YouTube / Pinterest. 

Organize a sua viagem!

Reserve com os nossos parceiros; as marcas a seguir indicadas foram testados por nós, são de total confiança e por isso nós as recomendamos!

Além disso, ao usar estes links nós recebemos uma pequena comissão, o que nos ajuda a manter o blogue atualizado. Agradecemos a contribuição 

  • Alojamento no Booking;
  • Tours, entradas em museus, transferes de e para o aeroporto e atrações turísticas sem filas e com descontos pontuais em Get Your Guide;
  • Seguros de viagem à sua medida (inclui seguro COVID-19), com atendimento em língua portuguesa e com 5% desconto na IATI Seguros;

Não se esqueça que nós organizamos as nossas viagens e a dos nossos amigos, também podemos organizar as suas! reservapassaporte@gmail.com.

Este post pode conter links afiliados.

Partilhar Artigo

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.