Parque Nacional da Peneda-Gerês

Parque Nacional da Peneda-Gerês
Índice do artigo

Atualizado em: Janeiro 5, 2024

O Parque Nacional Peneda-Gerês é uma área protegida que engloba a Serra Amarela, a Serra do Gerês, a Serra da Peneda e a Serra do Soajo.

Inclui, por isso, territórios dos concelhos de Terras de Bouro, Melgaço, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca e Montalegre.

No total são 22 freguesias que fazem parte do parque que é Reserva Mundial de Biosfera da UNESCO.

Então, acompanha-nos nesta viagem pelo Norte de Portugal?

O que fazer no Parque Nacional da Peneda-Gerês

Percursos Pedestres

Existem 40 trilhos pedestres sinalizados no Parque Nacional da Peneda-Gerês, sendo que destes 9 carecem de autorização para grupos a partir de 10 ou 15 elementos.

Assim, quando estiver a planear o seu trilho pedestre sugerimos que confirme esta informação junto das autoridades do parque.

Então, os percursos pedestres cujo percurso não está condicionado são os seguintes:

  • Trilho de Lamas de Mouro, Trilho Interpretativo de Castro Laboreiro, Rota temática dos peregrinos e romeiros da Peneda – Rota de Sistelo, Trilho Castrejo, Trilho do Curro da Velha, Caminhos do pão, caminhos da fé – percurso longo, Trilho Pertinho do Céu, Trilho da Mistura das Águas, Travessia das Serras da Peneda e Soajo, Trilho do Ramisca, Trilho das Brandas, Caminhos do pão, caminhos da fé – percurso curto, Trilho Interpretativo do Mezio, Trilho do Ramil, Rota temática dos peregrinos e romeiros da Peneda – Rota do Soajo, Trilho dos Moinhos de Parada, Trilho do Penedo do Encanto, Trilho do Megalitismo de Britelo, Trilho de Entre Ambos-os-Rios – Ermida, Trilho de Germil, Trilho da Águia do Sarilhão, Trilho Cidade da Calcedónia, Trilho dos Currais, Trilho dos Miradouros, Trilho de São Bento, Trilho do Fojo de Fafião, Trilho do Rio, Trilho do Fojo da Portela da Fairra, Trilho de Pitões das Júnias, T. do Contrabando e por fim o Trilho de Tourém.

Por outro lado os trilhos condicionados são os seguintes:

  • Trilho do Megalitismo do Planalto de Castro Laboreiro (10 elementos), Trilho da Peneda (15 elementos), Rota temática dos peregrinos e romeiros da Peneda – Rota dos bicos (10 elementos), GR do Ato Lima – Etapa Ponte da Barca (15 elementos), GR 34 – Trilho Interpretativo da Serra Amarela (10 elementos), Geira (10 elementos), Trilho da Preguiça (10 elementos), Trilho interpretativo das Silhas dos Ursos (10 elementos) mas também o Trilho do Sobreiral da Ermida do Gerês (15 elementos).

Piqueniques em família ou com amigos

Quer seja adepto de toalha no chão ou prefira parques de merendas, no Gerês é garantido encontrar um sítio para fazer um piquenique.

Os parques de merendas estão espalhadas pelos diferentes concelhos e assim poderá utilizar a Área de lazer das Veigas (Castro Laboreiro), o parque de merendas de Lamas de Mouro, da Senhora da Paz (Adrão), do Mezio, da Senhora da Madalena (Fronteira da Madalena), das Corujeiras (Paradamonte), do Vidoeiro (Gerês), da Pedra Bela, do Chelo, do Chã do Arado (Ermida), da Batoca (Pincães), do Carvalhal (Pincães), da Barca (Cabril), da Senhora das Neves (Cabril), das Encruzilhadas (Xertelo), Além do Rio (Barragem de Paradela) em por fim, o parque de merendas de Pitões das Júnias.

Desportos radicais

A existência de rápidos e albufeiras são propícios à prática de desportos radicais, no entanto nós apenas experimentamos Stand Up Padle na Barragem da Caniçada e gostámos bastante.

Ver cascatas e mergulhar em rios, lagos e albufeiras

O parque é rico em curso de água, por isso não é de estranhar a profusão de rios, lagos, albufeiras e cascatas.

Assim, as albufeiras que recomendamos visitar são a Caniçada, a albufeira de Vilarinho das Furnas (rio Homem) e a albufeira da Barragem da Paradela (rio Cávado).

Por outro lado, as cascatas que sugerimos que inclua no seu roteiro no gerês são a cascata do Arado, a cascata de Fecha de Barjas, a cascata da Laja, a cascata de Leonte e a cascata da Portela do Homem.

No entanto, no final deste artigo poderá encontrar um link para um post dedicado exclusivamente às cascatas no Gerês.

Como chegar ao Parque Nacional da Peneda-Gerês

Saindo do Porto, a melhor forma de chegar ao Parque Nacional da Peneda-Gerês é pela A3. Assim, siga pela A3 em direção a Braga até à saída 8 para a A11/Guimarães/N14/Braga/Celeirós.

Siga as indicações em direção à entrada no parque, continuando pela N304.

Dicas de viagem para visitar o Parque Nacional da Peneda-Gerês

Existe um Código de Conduta e Boas Práticas que deverá ser respeitado pelos visitantes do Parque, por isso sugerimos que o analise com cuidado.

Ou seja, viajar para o Parque Nacional da Peneda-Gerês pode ser uma experiência gratificante, mas é importante que siga o respetivo Código de Conduta e Boas Práticas, já que a finalidade do mesmo é preservar este tesouro natural.

Por isso, não se esqueça e antes de sair de casa, leia as regras deste código para garantir uma visita responsável e respeitosa.

Afinal, o parque tem muitos trilhos, cascatas deslumbrantes e uma flora e fauna únicas, mas as coisas podem correr mal se não tiver os cuidados necessários.

Assim, recomendo que esteja preparados para as condições climáticas variáveis, levando consigo água, roupa adequada e calçado confortável.

Além disso, na altura de explorar a região, é importante manter-se nos trilhos marcados para evitar perturbar a fauna e a flora sensíveis.

Não devia ser necessário lembra que respeitar a natureza inclui não deixar lixo para trás, contribuindo, desta forma muito simples, para a preservação deste ambiente.

Para quem planeia acampar, existem áreas designadas para esta atividade, no entanto, é necessário obter autorização prévia. Lembre-se que a utilização de fogueiras está sujeita a regras específicas para minimizar o impacto ambiental.

Leia também:

Por fim, está a pensar visitar o Gerês? Então, nesse caso tomamos a liberdade de sugerir que leia os seguintes artigos:

Viajar em família, de forma frequente, com algum conforto e sem ir à falência! Somos uma Família Portuguesa a viajar pelo mundo e partilhamos tudo em passaportenobolso.com. Aqui encontra muitas dicas de viagem, bem como informações práticas sobre vários destinos na Europa, África, Ásia e América. Visitei +30 países e não planeio parar tão cedo. De vez em quando viajo sozinha… Acompanhe tudo no Instagram / Facebook / YouTube / Pinterest. 

Organize a sua viagem!

Reserve com os nossos parceiros; as marcas a seguir indicadas foram testados por nós, são de total confiança e por isso nós as recomendamos!

Além disso, ao usar estes links nós recebemos uma pequena comissão, o que nos ajuda a manter o blogue atualizado. Agradecemos a contribuição 

  • Alojamento no Booking;
  • Tours, entradas em museus, transferes de e para o aeroporto e atrações turísticas sem filas e com descontos pontuais em Get Your Guide;
  • Seguros de viagem à sua medida (inclui seguro COVID-19), com atendimento em língua portuguesa e com 5% desconto na IATI Seguros;

Não se esqueça que nós organizamos as nossas viagens e a dos nossos amigos, também podemos organizar as suas! reservapassaporte@gmail.com.

Este post pode conter links afiliados.

Partilhar Artigo

Artigos Relacionados

5 respostas

  1. Aside from the city of Porto and the Douro, which I love, I don’t know the north of Portugal, but I plan to return one day and explore further. 🙂 🙂 Many thanks for the follow.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.