O que visitar em Bruxelas em 2 dias (2024) Lugares imperdíveis

O que visitar em Bruxelas: o Atomium.
Índice do artigo

Atualizado em: Janeiro 23, 2024

Acredite ou não, é possível conhecer Bruxelas em apenas dois dias! Veja o que visitar em Bruxelas em 48 horas, aproveitando ao máximo esta cidade cheia de história, cultura e charme.

Bruxelas é a capital da Bélgica e a sede de importantes instituições internacionais, como a União Europeia e a NATO. É uma cidade cheia de contrastes, com o seu centro histórico repleto de edifícios clássicos (dos séculos XV-XVII) e modernos arranha-céus que compõem o horizonte.

Se tem apenas dois dias para explorar Bruxelas, é importante saber quais são as principais atrações que não podem ficar de fora do seu roteiro.

Prepare-se para dois dias intensos, cheios de lugares históricos, estátuas curiosas e monumentos classificados como Património da UNESCO.

E claro, uma viagem a Bruxelas não estaria completa sem provar os famosos chocolates belgas, cervejas artesanais e os tradicionais moules frites, ou seja, mexilhões com batatas fritas. A gastronomia belga é uma verdadeira experiência para os amantes de comida, por isso, aproveite bastante!

Para facilitar o planeamento da sua viagem, vai encontrar sugestões dos melhores hotéis para ficar hospedado em Bruxelas, com a descrição dos principais bairros históricos, bem como informação sobre os transportes, seguro de viagem e outras dicas práticas.

E se quiser estender a sua estadia, também acrescentei dicas de o que visitar nos arredores de Bruxelas.

Em resumo, vou partilhar consigo as melhores dicas de o que ver e fazer em Bruxelas durante uma escapadinha de dois dias.

Estas são as mesmas dicas que eu segui durante a minha visita à capital belga, então pode ter a certeza de que não vai perder os principais pontos turísticos e atrações.

O que visitar em Bruxelas em 2 dias

Grand-Place Bruxelas.
Grand-Place Bruxelas.

Entre o centro histórico e os arredores de Bruxelas, há muito para ver e fazer.

No primeiro dia, comece o roteiro na Grand-Place, siga para as Galerias Saint Hubert, e faça uma pausa nos jardins Mont des Arts.

Depois, continue em direção aos Museus Reais de Belas-Artes da Bélgica (entrada gratuita), passe pela Igreja de Nossa Senhora do Sablon e termine o dia junto da estátua do Manneken Pis.

No segundo dia em Bruxelas, vá até ao Centro Belga de Banda Desenhada, explore o Parque do Cinquentenário e o Atomium, antes de apanhar o autocarro até ao Parque Mini-Europa.

Admire a fachada do Palácio Real de Bruxelas e conclua o seu roteiro de dois dias em Bruxelas com uma visita gratuita ao Parlamento Europeu.

Roteiro para dois dias em Bruxelas: o que visitar no primeiro dia

Ver a Grand-Place de Bruxelas

Hôtel de Ville de Bruxelles, ou Câmara Municipal de Bruxelas, na Grand-Place.
Hôtel de Ville de Bruxelles (Câmara Municipal de Bruxelas), na Grand-Place.

Sabia que a Grand-Place é considerada uma das praças mais bonitas do mundo? Por isso, se tem apenas dois dias para visitar Bruxelas, recomendamos que comece por este lugar icónico!

A Grand-Place é o coração de Bruxelas, ou seja, é a praça central onde acontecem os principais eventos e manifestações culturais. Mas também onde se encontram os locais e turistas ao final do dia para tomarem uma cerveja.

Entre os edifícios mais notáveis da Grand-Place estão o Hôtel de Ville (Câmara Municipal de Bruxelas), um magnífico edifício gótico construído no século XV, com a sua imponente torre que se destaca na paisagem urbana. Dedique algum tempo a observar as decorações na fachada, bem como a estátua dourada de São Miguel, o padroeiro da cidade.

Além disso, na Grand-Place, não deixe de visitar o Brussels City Museum, ou o Museu da Cidade de Bruxelas, que é onde estão as roupas do Mannekin Pis, a famosa estátua do menino e fazer xixi. E se precisar de informações, há um posto de turismo na praça para o ajudar.

Enfim, a Grand-Place é um lugar sempre animado, com lojas de chocolates, bares e muita atividade de rua. Aliás, à noite, os prédios à volta da praça ganham vida com um espetáculo de música e cores, tornando a visita ainda mais mágica. Não perca!

Conhecer as Galeries Royales Saint-Hubert

O que fazer em Bruxelas: visitar as Galerias Saint Hubert, ou Galerias Royales Saint-Hubert.
O que fazer em Bruxelas: visitar as Galerias Saint Hubert, ou Galerias Royales Saint-Hubert.

As Galerias Saint Hubert, ou Galerias Royales Saint-Hubert, criadas em 1847, foram as primeiras galerias comerciais da Europa e mantêm, até hoje, a exclusividade e elegância das lojas. São, portanto, anteriores às Gallerias Vittorio Emanuele em Milão, Itália.

Estão divididas em três zonas, ou seja, a Galeria do Rei (Koningsgalerij), a Galeria da Rainha (Koninginnegalerij), e ainda a Galeria dos Príncipes (Prinsengalerij).

A entrada para as galerias é através da Rue du Marché aux Herbes, pela Rue des Bouchers ou ainda pela Rue de l’Ecuyer.

No interior, pode contar com dezenas de montras luxuosamente decoradas, das quais se destacam as lojas de chocolates, lojas de roupa e joalharias.

As Galeries Royales Saint-Hubert têm ainda cafés, restaurantes, um teatro e um cinema, isto é, pode perfeitamente dedicar uma tarde a explorar o lugar.

Ir ao Mont des Arts

Biblioteca Real da Bélgica.
Biblioteca Real da Bélgica.

O Mont des Arts, ou Kunstberg, é um lugar histórico no centro de Bruxelas e inclui várias atrações turísticas, como por exemplo, um jardim público, a Biblioteca Real da Bélgica e os Arquivos Nacionais da Bélgica.

Localizado entre a Grand-Place e a Estação Central de Bruxelas, o Mont des Arts é uma área que foi projetada como um complexo cultural e artístico no final do século XIX, e hoje é considerado um dos pontos de referência mais emblemáticos da cidade.

O seu nome em francês, Mont des Arts, significa “Monte das Artes”, enquanto que em holandês é conhecido como Kunstberg, que também se traduz como “Monte das Artes”.

Uma das atrações mais interessantes do Mont des Arts é o seu jardim público, com canteiros de flores coloridas, relva e fontes decorativas, proporcionando um local perfeito para relaxar e apreciar a paisagem urbana de Bruxelas.

Outra atração importante do Mont des Arts é a Biblioteca Real da Bélgica. Fundada em 1839, é uma das bibliotecas mais antigas e importantes da Bélgica, com uma vasta coleção de manuscritos, livros raros e documentos históricos. No acervo da biblioteca está uma cópia da primeira edição da obra de William Shakespeare.

Além disso, é no Mont des Arts que estão localizados os Arquivos Nacionais da Bélgica, que são responsáveis pela preservação e disponibilização de documentos importantes relacionados com a história da Bélgica, isto é, são um tesouro de informações históricas e culturais do país.

O Mont des Arts também é um local de eventos culturais e artísticos em Bruxelas. O local é frequentemente palco de festivais, concertos e exposições ao ar livre, por isso, certifique-se que faz parte da sua lista de o que visitar em Bruxelas em dois dias.

Visitar os Museus Reais de Belas-Artes da Bélgica

Os Museus Reais de Belas-Artes da Bélgica, ou Les Musées Royaux des Beaux-Arts de Belgique, são uma instituição cultural localizada no coração de Bruxelas.

Trata-se de uma uma coleção com mais de 2.000 pinturas, desenhos e esculturas que datam do início do século XV até os dias de hoje.

Este museu faz parte de uma associação de seis centros de arte, considerados os melhores da Bélgica, e inclui o Museu de Arte Antiga, o Museu de Arte Moderna, o Museu Constantin Meunier, o Museu Antoine Wiertz, o Museu Magritte e o Museu Fin-de-Siècle.

Neste texto, vou focar nos dois primeiros museus mencionados, ou seja, o Museu de Arte Antiga e o Museu de Arte Moderna, uma vez que os outros estão localizados em regiões mais distantes do centro e não tive a oportunidade de os visitar.

Assim, o Museu de Arte Antiga é o centro de arte mais relevante do conjunto que faz parte dos Museus Reais de Belas-Artes da Bélgica e é especialmente conhecido pela notável coleção de pinturas flamengas dos séculos XV-XVIII.

Inclui obras de mestres como Van Dyck e Rubens e, além disso, a sua localização é marcada por um notável edifício neoclássico do final do século XIX, projetado pelo arquiteto belga Alphonse Balat, que também foi responsável pelas Estufas Reais de Laeken.

Já o Museu de Arte Moderna apresenta obras de arte do século XIX até os dias de hoje e sua coleção de belas artes é diversificada, com destaque para as obras de artistas belgas surrealistas.

Visitar a Igreja de Nossa Senhora do Sablon (Église Notre-Dame du Sablon)

Église Notre-Dame du Sablon.
Église Notre-Dame du Sablon.

A Igreja de Nossa Senhora do Sablon, também conhecida como Église Notre-Dame du Sablon em francês, e Onze-Lieve-Vrouw ter Zavelkerk em holandês, é uma igreja católica romana situada no distrito de Sablon/Zavel, no centro histórico de Bruxelas, Bélgica.

A igreja dedicada a Nossa Senhora do Sablon é um marco importante na cidade.

A igreja foi construída no século XV, com o apoio da nobreza e cidadãos ricos de Bruxelas e o exterior é caracterizado pelo estilo gótico brabantino tardio.

Além disso, no século XIX foram acrescentados elementos decorativos neogóticos, o que faz com que seja um edifício único do género. Em 1936, o complexo da igreja foi declarado um monumento histórico, o que comprova a sua importância.

Aliás, juntamente com a Catedral de São Miguel e Santa Gudula e a Igreja da Capela, a igreja de Nossa Senhora do Sablon de Bruxelas é uma das três igrejas góticas ainda existentes no centro de Bruxelas.

A pedra para a construção da igreja veio da pedreira de Gobertange, a aproximadamente 45 km de distância. A utilização desta pedra confere à igreja uma aparência única e duradoura.

Além do exterior marcante, a Igreja de Nossa Senhora do Sablon também é conhecida pela decoração interior, com duas capelas barrocas, bem como elementos decorativos neogóticos, vitrais coloridos e detalhes esculpidos em madeira e pedra.

A localização da igreja é estratégica, situada ao longo da Rue de la Régence/Regentschapsstraat, entre a Place Royale/Koningsplein e o Palácio da Justiça, e não muito longe dos Museus Reais de Belas Artes.

Do outro lado da rua está a Square du Petit Sablon/Kleine Zavelsquare, um belo jardim público. Para chegar à igreja, vá a pé ou de elétrico (Petit Sablon/Kleine Zavel, linhas 92 e 93).

Tirar foto ao Manneken Pis, o menino que faz xixi

O que ver em Bruxelas: a estátua do  menino a fazer xixi, o Manneken Pis.
O que ver em Bruxelas: a estátua do Manneken Pis.

O Manneken Pis é uma pequena estátua em bronze de um menino a fazer xixi e representa o bom humor e a liberdade de pensamento dos habitantes de Bruxelas.

Os habitantes de Bruxelas têm um especial carinho pela estátua e, inclusive, mudam-lhe a roupa todas as semanas.

A estátua está protegida por uma grade alta, afinal, já foi furtada várias vezes ao longo do tempo, e as multidões acumulam-se com frequência naquela zona.

Grande parte dos turistas refere que fica desiludida com o tamanho da estátua, que tem apenas 60 cm, por isso, vá preparado para uma estátua pequena…

Dica extra: Jeanneke Pis é uma escultura que representa uma menina a fazer xixi, ou seja, é a versão feminina do famoso Manneken Pis. Embora não seja tão conhecida como a sua contraparte masculina, Jeanneke Pis também é uma atração turística interessante para os visitantes.

Além disso, para aqueles que se interessam por esculturas da temática “a fazer xixi”, outra opção interessante é o Zinneke Pis, que representa um cãozinho a urinar.

Mapa com o roteiro para um dia a pé no centro de Bruxelas: O que visitar em Bruxelas em 48 horas.

Roteiro para dois dias em Bruxelas: o que visitar no segundo dia

Conhecer o Centro Belga de Banda Desenhada (Comics Art Museum)

Tintim em Bruxelas.
Tintim em Bruxelas.

Lembra-se do personagem de banda desenhada Tintim ou dos Smurfs? Então inclua o Centro Belga de Banda Desenhada na sua lista de o que visitar em Bruxelas em dois dias!

O Centro Belga de Banda Desenhada (em francês: Centre belge de la Bande dessinée; em holandês: Belgisch Stripcentrum) funciona num edifício Art Nouveau projetado por Victor Horta, na 20, rue des Sables/Zandstraat, e pode chegar lá a pé a partir do centro de Bruxelas.

O prédio originalmente era uma loja de têxteis chamada Magasins Waucquez. Após a morte do proprietário, ficou abandonado e foi vandalizado. Em 1983, foi adquirido pelo governo belga e as obras terminaram em 1989.

O museu tem várias zonas, incluindo um restaurante, uma loja de banda desenhada, uma biblioteca com sala de leitura e um centro de estudos no rés-do-chão.

O primeiro andar tem um auditório, uma sala com páginas originais de banda desenhada de vários artistas e uma sala dedicada à animação belga, como a Belvision.

Por outro lado, no segundo andar, pode ver uma exposição permanente chamada “The Museum of Imagination”, que conta a história cronológica da banda desenhada na Bélgica, desde Hergé até Peyo, com destaque para as revistas Spirou e Tintim. Cada artista tem uma sala dedicada ao seu trabalho, projetada de forma lúdica.

O último andar é dedicado ao merchandising e também é usado para exposições temporárias.

O museu mostra o trabalho de vários artistas de banda desenhada, incluindo Willy Vandersteen, Marc Sleen, Bob de Moor, Morris, Jacques Martin e Tibet, entre outros.

Desde 2009, um outro museu chamado Marc Sleen Museum, dedicado à obra de Marc Sleen, está localizado em frente ao Centro Belga de Banda Desenhada, na mesma rua, proporcionando mais opções aos entusiastas de banda desenhada que visitam Bruxelas.

Passear no Parque do Cinquentenário

O que fazer em Bruxelas: passear no Parque do Cinquentenário.
O que fazer em Bruxelas: passear no Parque do Cinquentenário.

O Parque do Cinquentenário (em francês: Parc du Cinquantenaire; em holandês: Jubelpark) é um parque público urbano localizado em Bruxelas e é um dos principais pontos turísticos da cidade.

O parque criado em 1880 para comemorar o 50º aniversário da independência da Bélgica é de autoria de Gédéon Bordiau, um renomado arquiteto da época.

Os edifícios em forma de U que dominam o parque foram encomendados pelo governo belga no reinado do rei Leopoldo II para a Exposição Nacional de 1880 e exposições sucessivas que ocorreram na mesma área.

O arco do triunfo Les Arcades du Cinquantenaire construído em 1905, substitui uma versão temporária anterior da arcada por Gédéon Bordiau. As estruturas em ferro, vidro e pedra, simbolizam o desempenho económico e industrial da Bélgica.

Com 30 hectares de extensão, o Parque do Cinquentenário tem jardins e lagos, e é muito agradável passar um par de horas neste pequeno paraíso.

O parque tem vários museus importantes, como por exemplo, o Museu Real do Exército e da História Militar, os Museus Reais de Arte e História de Bruxelas e o Museu Autoworld.

Além disso, neste parque, também pode visitar o Pavilhão das Paixões Humanas de Victor Horta e a Grande Mesquita de Bruxelas.

Durante o verão, é comum ocorrerem concertos ao ar livre, apresentações de teatro e outras atividades culturais que atraem uma multidão de visitantes e moradores locais.

O parque também é um local de celebração do Dia da Bélgica, uma festa nacional que ocorre em 21 de julho, com eventos especiais, e fogo de artifício.

Subir ao Atomium de Bruxelas

O que visitar em Bruxelas: o Atomium.
O que visitar em Bruxelas: o Atomium.

O Atomium, um dos principais cartões postais da Bélgica, foi construído em 1958 em Bruxelas como parte da Expo 58.

Tem 102 metros de altura e é uma representação ampliada 165 milhões de vezes de um cristal elementar de ferro, composto por 9 partes interconectadas que formam 8 vértices. A explicação é aborrecida, mas ver o Atomium de perto é incrível, por isso, está incluído na lista de o que visitar em Bruxelas em 48 horas,

As esferas de ferro, com aproximadamente 18 metros de diâmetro, estão ligadas por tubos e com escadas no interior, com cerca de 35 metros de comprimento.

A esfera mais alta é onde os visitantes têm uma vista panorâmica da cidade, mas nas esferas existem exposições sobre os anos 50.

No entanto, por questões de segurança, as três esferas só são acessíveis por meio de tubos verticais e não estão abertas ao público.

Projetado para ser temporário (seis meses), pelo arquiteto André Waterkeyn, o Atomium sobreviveu e tornou-se um local de visita obrigatória em Bruxelas.

Aliás, muitos consideram o Atomium um ícone nacional, rivalizando com o Manneken Pis.

Para poupar tempo e dinheiro, compre os bilhetes para o Atomium Online.

Visitar o Parque Mini-Europa

Como o nome indica, o Parque Mini-Europa é um parque em miniatura localizado em Bruparck, perto do Atomium, em Bruxelas, Bélgica.

São várias reproduções de monumentos da União Europeia, com modelos de 80 cidades e 350 edifícios, espalhados numa área de 24.000 m².

Como é bastante grande, dedique pelo menos 2-3 horas para explorar os pormenores do Mini-Europa.

Pode contar em ver modelos de paisagens, comboios, moinhos, montanhas, teleféricos e muito mais.

Ver o Palácio Real de Bruxelas

Palácio Real de Bruxelas.
Palácio Real de Bruxelas.

O Palácio Real de Bruxelas, (em neerlandês: Koninklijk Paleis van Brussel; em francês: Palais Royal de Bruxelles) é a residência oficial do rei dos belgas.

Situado em frente ao prédio do Parlamento, estes dois edifícios simbolizam o sistema de governo da Bélgica como uma monarquia constitucional.

Apesar de não ser a residência real do rei e da sua família, que vivem no Castelo Real de Laeken, o Palácio Real é o local onde o rei exerce suas funções como Chefe de Estado. Ou seja, é neste lugar que acontecem as audiências e a condução dos negócios de Estado.

A estrutura original do palácio remonta ao final do século XVIII, embora o terreno faça parte de um complexo construído durante a Idade Média.

A fachada atual do palácio foi construída depois do ano de 1900, por iniciativa do rei Leopoldo II.

Os visitantes só são aceites no Palácio Real de Bruxelas entre os dias 21 de julho (feriado nacional) e princípios de setembro.

Conhecer o Parlamento Europeu

Parlamentarium (Parlamento Europeu).
Parlamentarium (Parlamento Europeu).

Se está em Bruxelas e quer conhecer mais sobre a União Europeia, então uma paragem obrigatória é o Parlamentarium.

Assim, logo na entrada, é engraçado tirar uma fotografia que simula diferentes lugares do parlamento.

A visita está dividida em dois principais momentos: o Parlamentarium e o Hemiciclo.

A exposição do Parlamentarium é incrível! Ela explica como a União Europeia funciona, a diversidade dos povos e culturas que a compõem, e como os países se uniram para formar este bloco de interesse mútuo.

Trata-se de um momento dinâmico e interativo em 24 línguas diferentes dos países membros da União Europeia. Veja os conflitos que levaram às Guerras Mundiais, destacando a importância não só económica e comercial, mas também política desta união.

No final da visita, entre numa sala de cinema 360º que simula o Hemiciclo.

Recorde que os debates e votações históricas são no Hemiciclo, apenas visitável em grupos.

Este tour tem a duração de 30 minutos, é gratuito, mas depende da disponibilidade de vagas, e é obrigatório apresentar um documento de identificação. Também é possível assistir às sessões do parlamento, mas a entrada também tem um número restrito de lugares disponíveis. Ou seja, é preciso ter um pouco de sorte para poder entrar.

Além do Parlamentarium e do Hemiciclo, outra atração interessante é a Casa da História Europeia, que tem uma exposição permanente sobre a história europeia, com foco nos acontecimentos do século XX.

Mapa com o roteiro para o segundo dia em Bruxelas: O que visitar em Bruxelas em 48 horas.

Alojamento e principais bairros de Bruxelas, Bélgica

Ruas em Bruxelas.
Ruas em Bruxelas.

Os principais bairros em Bruxelas indicados para os visitantes são o centro de Bruxelas, Ixelles e Saint Gilles.

Ou seja, para ficar no centro de Bruxelas, provavelmente vai precisar de pagar mais pela estadia, em comparação com zonas um pouco mais afastadas, como por exemplo, Ixelles e Saint Gilles.

Para mim, prefiro pagar um pouco mais e ficar no centro da cidade, mas deixo opções de diferentes hotéis para que possa escolher o mais indicado para si.

Por isso, se a sua ideia é ficar no coração de Bruxelas, o Novotel Brussels City Centre (4 estrelas) é um hotel moderno e com todo o conforto, incluindo uma piscina interior.

Por outro lado, se preferir um alojamento mais económico e com o selo de uma cadeia de hotéis internacionais, então não há que errar com o Holiday Inn Express Brussels-Grand-Place (3 estrelas).

Já se não se importar de ficar um pouco mais longe do centro histórico, e a uma curta distância a pé, sugiro que espreite o ibis Hotel Brussels Centre Gare du Midi (3 estrelas).

Estas são as minhas sugestões no centro de Bruxelas, mas se ainda não encontrou alojamento, as alternativas em Saint Gilles é o Hotel The Neufchatel (3 estrelas), que tem um ambiente familiar, ou então o Le Berger Hotel (3 estrelas) em Ixelles.

Se nenhuma destas sugestões lhe agradou, então veja outros hotéis a seguir e escolha um adequado ao seu gosto.

Reservar Hotéis em Bruxelas

Comida tradicional, restaurantes e chocolates belgas

Moules-frites (mexilhões com batatas fritas).
Moules-frites (mexilhões com batatas fritas).

Bruxelas combina com Moules-Frites, cerveja de cereja, waffles, chocolates e não só! E para que não se perca numa lista infinita de comida típica e restaurantes a experimentar em Bruxelas, explico tudo ponto por ponto.

Assim, o prato típico mais conhecido em Bruxelas é, sem dúvida o moules-frites, ou mexilhões com batatas fritas. Os mexilhões são cozinhados num molho de cerveja ou vinho branco, mas existem variações com natas e outros ingredientes.

Depois, Carbonnades flamandes são pedaços de carne refogada em cerveja e Chicons au gratin são endívias no forno com fiambre e queijo.

O que comer em Bruxelas: Carbonnades flamandes.
O que comer em Bruxelas: Carbonnades flamandes.

Em termos de bebidas, a Bélgica é a casa das cervejas tradicionais e experimentar diferentes tipos desta bebida parece ser o desporto nacional.

Eu não sou grande apreciadora de cerveja, mas pelo que percebi o bar de eleição para saborear cervejas no centro de Bruxelas é o Delirium Café Brussels, que tem o record mundial do Guinness com 2004 cervejas do mundo na carta, e música ao vivo às quintas-feiras à noite.

Por outro lado, o À la Mort Subite é um dos mais antigos cafés de Bruxelas e é um lugar popular para experimentar cervejas tradicionais.

Já nos doces, são incontornáveis os chocolates de fabrico artesanal, bem como waffles quentinhos e que tentam quem passa com o seu doce perfume.

Os restaurantes turísticos são os que estão localizados na Rue des Bouchers, uma longa e estreita rua pedonal perto da Grand-Place. Mas engana-se se pensa que estes lugares são apenas frequentados por turistas.

Aliás, a Rue des Bouchers é conhecida como a rua dos restaurantes.

Já agora, sabe porque as batatas fritas em Bruxelas são tão boas? São fritas duas vezes e lançadas para o ar para que o excesso de gordura saia.

Transportes em Bruxelas

Transportes em Bruxelas, Bélgica.
Autocarro em Bruxelas, Bélgica.

Em Bruxelas há metro, autocarro, elétrico, táxi e Uber, mas é fácil caminhar para visitar os principais monumentos no centro histórico.

Em relação aos transportes, pode usar o mesmo bilhete no metro, autocarro e elétrico, desde que seja dentro do período de 1 hora após validação.

Os bilhetes são comprados nas máquinas automáticas ou diretamente ao motorista do autocarro, sendo que neste último caso, o preço é um pouco mais caro.

O preço normal dos bilhetes de transporte em Bruxelas é de 2,40 €, mas se comprar 10 bilhetes simples, o preço é de 15,60 €.

Os táxis costumam ser caros, por isso o Uber é uma boa alternativa.

Quantos aeroportos existem em Bruxelas?

Aeroporto Zaventem.
Aeroporto Zaventem.

A cidade de Bruxelas tem dois aeroportos principais: o Aeroporto Internacional de Bruxelas, também chamado de Aeroporto de Zaventem (BRU), localizado a cerca de 12 km do centro da cidade; e o Aeroporto de Charleroi (CRL), situado a aproximadamente 60 km do centro da cidade.

Ou seja, o aeroporto principal de Bruxelas é o Zaventem, que fica mais próximo do centro e o Charleroi fica um pouco mais longe.

Em todo o caso, a Ryanair voa para os dois aeroportos, por isso é importante ter atenção quando reservar o voo.

Como ir do Aeroporto de Zaventem (BRU) para o centro de Bruxelas?

A forma mais rápida de ir do Aeroporto de Zaventem para o centro de Bruxelas é de comboio.

A viagem custa cerca de 9 € e pode apanhar o comboio na estação Brussel-Nat-Luchthaven, que está localizada no subsolo do aeroporto. Pode sair na estação de Brussels North, Brussels Central e Brussels Midi.

Por outro lado, o autocarro não é tão rápido mas é mais barato. Conte com uma viagem de mais ou menos 45 minutos até à estação Brussels North, sendo que pode apanhar os autocarros nº 272 e 471. Os bilhetes de autocarro do Aeroporto de Zaventem até ao centro de Bruxelas custam 3 €.

Se quiser poupar algum tempo, o Airport Line é um serviço expresso de autocarro (linhas 12 e 21) com destino ao bairro europeu. A viagem tem a duração de meia hora e o bilhete custa 4,50 €.

Como ir do Aeroporto de Charleroi (CRL) para o centro de Bruxelas?

Já se voar para o Aeroporto de Charleroi (CRL), conte com uma viagem até ao centro um pouco mais longa e mais dispendiosa.

Assim, a forma mais cómoda de ir do Aeroporto de Charleroi (CRL) para o centro de Bruxelas, é de autocarro.

Procure os autocarros da Fibco e saia na Estação de Bruxelas-Midi, que fica na Rue de France, ou seja, no centro da cidade.

Conte com uma viagem de aproximadamente 1 hora e os bilhetes custam cerca de 17 €.

Quando visitar Bruxelas

O que ver em Bruxelas: Catedral de São Miguel e Santa Gudula.
O que ver em Bruxelas: Catedral de São Miguel e Santa Gudula.

Eu visitei Bruxelas no início de setembro, poucos dias antes de começares as aulas, pois viajei com os meus filhos e considero que foi uma boa escolha.

De uma forma genérica, o outono é uma boa altura para viajar na Europa, uma vez que o tempo costuma estar ameno e os preços altos do verão baixam um pouco.

No entanto, na altura do Natal acontecem os tradicionais Mercados de Natal, por isso, é também uma excelente desculpa para viajar para Bruxelas.

O que visitar nos arredores de Bruxelas

Visitar o Luxemburgo.
Visitar o Luxemburgo.

Aproveite a sua estadia na capital da Bélgica para explorar algumas das cidades e vilas mais bonitas da Europa. E olhe que há muitos destinos interessantes.

Aliás, acho que a dificuldade é mesmo escolher o que visitar perto de Bruxelas.

Assim, recomendo que espreite os tours de um dia em Gant e Bruges ou Antuérpia, para conhecer outras cidades da Bélgica.

Já se a sua ideia é visitar países vizinhos da Bélgica, então veja a excursão até Amesterdão, a capital dos Países Baixos, ou uma excursão a Colónia e Monschau, na Alemanha.

Eu escolhi um tour com saída de Bruxelas até ao Luxemburgo e gostei bastante, pois o transporte de autocarro era direto e o apoio do guia foi importante na visita ao centro histórico do Luxemburgo.

É preciso seguro para viajar para a Bélgica?

O sistema de saúde na Bélgica é um dos melhores da Europa, mas também é dos mais caros.

Os cidadãos portugueses que tiverem o Cartão Europeu de Seguro de Doença, que é gratuito, podem aceder aos serviços médicos em caso de urgência, nas mesmas condições que os cidadãos belgas.

O que isto siginifica?

Que os utentes pagam cerca de 20% do custo da consulta e os restantes 80% são suportados pelo Estado. Ou seja, a conta a pagar pode ser muito alta!

Por isso, eu recomendo que faça um seguro de viagem com a IATI Seguros, que compensa bastante porque é completo e económico.

Leia também

Conheça outras capitais europeias:

Viajar em família, de forma frequente, com algum conforto e sem ir à falência! Somos uma Família Portuguesa a viajar pelo mundo e partilhamos (quase) tudo em passaportenobolso.com. Aqui encontra muitas dicas de viagem, bem como informações práticas sobre vários destinos na Europa, África, Ásia e América. Visitei +30 países e não planeio parar tão cedo. De vez em quando viajo sozinha… Acompanhe tudo no Instagram / Facebook / YouTube / Pinterest / Twitter.

Organize a sua viagem!

Reserve com os nossos parceiros; as marcas a seguir indicadas foram testados por nós, são de total confiança e por isso nós as recomendamos!

Além disso, ao usar estes links nós recebemos uma pequena comissão, o que nos ajuda a manter o blogue atualizado. Agradecemos a contribuição 

  • Alojamento no Booking;
  • Tours, entradas em museus, transferes de e para o aeroporto e atrações turísticas sem filas e com descontos pontuais em Get Your Guide;
  • Seguros de viagem à sua medida (inclui seguro COVID-19), com atendimento em língua portuguesa e com 5% desconto na IATI Seguros;

Não se esqueça que nós organizamos as nossas viagens e a dos nossos amigos, também podemos organizar as suas! reservapassaporte@gmail.com.

Este post pode conter links afiliados.

Partilhar Artigo

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.