Browsing Category

Destinos

5

Valença do Minho | guia de viagens completo

Porta da Coroada em Valença do Minho

Valença do Minho ou simplesmente Valença, é uma cidade raiana do distrito de Viana do Castelo.

A sua Fortaleza é candidata a Património da Humanidade pela UNESCO e neste artigo vamos indicar-lhe alguns pontos de interesse turístico da região.

Vamos dizer-lhe o que visitar, o que fazer, restaurantes e alojamento em Valença para que tenha uma estadia memorável.

Geografia de Valença do Minho

Em primeiro lugar, saiba que Valença é constituída por onze freguesias:

  • Boivão;
  • Cerdal;
  • Fontoura;
  • Friestas;
  • Gandra e Taião;
  • Ganfei;
  • Gondomil e Sanfins;
  • S. Julião e Silva;
  • S. Pedro da Torre;
  • Valença, Cristelo Covo e Arão;
  • Verdoeiro.

O que visitar em Valença do Minho

Fortaleza

A Fortaleza é, sem dúvida, o cartão-postal de Valença, sendo uma das principais fortificações militares da Europa!

Com uma extensão superior a 5 quilómetros, vista para a vizinha Espanha e para o Rio Minho, a Fortaleza de Valença ostenta doze baluartes, trinta e quatro guaritas, revelins, canhoeiras e paióis.

Baluartes existentes na Fortaleza de Valença:

  • Baluarte de São Jerónimo;
  • Baluarte de Santa Ana;
  • Baluarte de São José (meio baluarte);
  • Baluarte da Lapa;
  • Baluarte de São João;
  • Baluarte do Carmo;
  • Baluarte do Socorro;
  • Baluarte de São Francisco;
  • Baluarte do Faro;
  • Baluarte da Esperança;
  • Baluarte de Santo António (meio baluarte);
  • Baluarte de Santa Bárbara.

Já deve ter percebido que vai precisar essencialmente de duas coisas para visitar a Fortaleza de Valença!

Por um lado, tempo para percorrer as ruas e muralhas e atenção, pois verdadeiras pérolas espreitam a cada esquina.

Miradouro do Baluarte do Socorro

O Miradouro do Baluarte do Socorro é, na nossa opinião, um dos melhores sítios de observação, uma vez que está situado no extremo norte da fortaleza.

Deste lugar terá uma vista privilegiada sobre a cidade espanhola de Tui, o Rio Minho e a Ponte Internacional.

A Capela Militar do Bom Jesus

Valença do Minho

Também conhecida como Capela do Bom Jesus do Bonfim, foi construída nos estilos barroco e rococó.

O seu interior guarda uma imagem de Nossa Senhora do Carmo que costumava acompanhar o Regimento de Infantaria n.º 21 nas suas campanhas.

A estátua de S. Teotónio

Situada em frente à Capela Militar do Bom Jesus, é uma escultura do Século XX e evoca o S. Teotónio, o primeiro santo português.

A Casa do Eirado

Esta casa senhorial do Século XV é um edifícios mais antigos da fortificação.

A janela da Casa do Eirado, e que pode ser observada da rua, é um dos primeiros exemplos do estilo arquitectónico manuelino português, portanto, não deixe escapar a oportunidade de a contemplar.

O Marco Miliário Romano

Marco Miliário Romano

O Marco Miliário Romano foi mandado construir pelo Imperador Cláudio no Século I DC e assinala exatamente as quarenta e duas milhas que separam as cidade de Braga e de Tui.

É, sem dúvida, um marco histórico de elevado interesse e se o visitar sugerirmos que procure um canhão que se localiza muito perto do Marco, assim como espreite a Igreja de Santo Estevão.

A Moradia Régia

Moradia Régia em Valença do Minho

A Moradia Régia alberga atualmente o Núcleo Museológico de Valença, depois de ter sido Paços do Concelho e Cadeia de Comarca.

Abriu ao público no dia 20 de novembro de 2008 com duas salas principais: a Sala da História Local e a Sala da Arqueologia.

Além disso, dispõe de um centro de Recursos onde poderão ser efetuadas pesquisas.

Proporciona, igualmente visitas áudio guiadas em Português, Inglês, Espanhol e Francês e tem entrada gratuita.

Portas da Muralha

São quatro as Portas da Muralha mas as mais conhecidas, talvez por serem as mais bonitas, são a Porta da Coroada e a Porta da Gaviarra.

Porta da Coroada em Valença do Minho

Além disso, existem a Porta do Sol e a Porta do Meio.

O que fazer em Valença do Minho

  • Percorrer os vinte e dois quilómetros da Ecopista do Minho, entre Monção e Valença.

A missão do Plano Nacional de Ecopistas criado em 2001 visa a requalificação e reutilização de linhas e canais ferroviários desativados e a verdade é que os ciclistas agradecem esta iniciativa.

A Ecopista do Minho em particular já recebeu dois galardões internacionais!

Assim, em 2009 foi classificada a 4.ª Melhor Ecopista da Europa durante o Encontro Europeu de Vias Verdes que decorreu na Bélgica.

E mais recentemente, em 2017, ficou classificada em terceiro lugar na European Greenways Awards na categoria Melhor Via Verde da Europa, que teve lugar na Irlanda.

Durante o trajeto da Ecopista vai passar por vários pontos de interesse dos quais destacamos o Mosteiro de Ganfei, o Centro de Interpretação da Ecopista, a Ponte Centenária Internacional Valença / Tui e a Fortaleza de Valença.

  • Visitar o Miradouro da Capela de Sant’Ana

Para visitar o Miradouro da Capela de Sant’Ana terá de se deslocar para o Monte do Faro, isto é, fora do centro de Valença.

A Capela de Sant’Ana é bastante pequena, e para lá chegar terá de percorrer um caminho a pé.

No entanto, saiba que existe um parque de estacionamento junto à Igreja do Monte do Faro, a poucos metros da capela.

Já agora, aproveite e visite também esta igreja em cujo exterior está gravado numa pedra um poema dedicado à Virgem do Faro.

Capela de Sant'Ana

Alojamento em Valença do Minho

Nós ficámos alojados em Melgaço, no Monte Prado Hotel & SPA, a cerca de trinta minutos de Valença, e recomendamos.

No entanto, se preferir ficar alojado em Valença, por favor contacte-nos (reservapassaporte@gmail.com), pois conseguimos tarifas competitivas!

Restaurantes em Valença do Minho

Se procura recomendações de restaurantes nós tomamos a liberdade de sugerir três: O Restaurante Fortaleza (conhecido pelo Bacalhau à Fortaleza e pelo Cabritinho no forno), o Restaurante Baluarte (conhecido como o rei do Bacalhau) e o Fatum (que concilia restaurante e casa de fados).

Valença e o Caminho de Santiago

Em primeiro lugar, o Caminho Português da Costa e o Caminho Português Central convergem para Valença e, de facto, unem-se no interior da Fortaleza de Valença.

Além disso, alguns peregrinos escolhem Valença como início do Caminho de Santiago por causa da Compostela.

Passamos a explicar melhor: a Compostela, ou Credencial do Peregrino, é o documento onde vão sendo colocados os selos que comprovam que o peregrino efetivamente percorreu o Caminho.

A título de curiosidade, saiba que terão de ser apostos dois selos por dia e os selos poderão ser obtidos em albergues do peregrino, hostels, hotéis, cafés, restaurantes, igrejas, entre outros.

Ora, para que seja obtida a Compostela, o peregrino terá de ter percorrido obrigatoriamente os últimos 100 quilómetros a pé (ou 200 quilómetros no caso do ciclistas) antes de chegar a Santiago e Valença situa-se a pouco mais que os tais cem quilómetros exigidos.

Assim, e se tem interesse no Caminho de Santiago, recomendamos que veja o artigo que publicámos sobre o Guia dos Caminhos de Santiago.

Melhor altura para visitar Valença

Se possível tente evitar os fins de semana pois é a altura escolhida pelos espanhóis para fazerem compras em Valença.

Assim, em janeiro acontece a Cavalgata Internacional de Reis, um evento com raízes históricas e ligado à comemoração do dia de Reis.

Por outro lado, em agosto poderá visitar a Romaria do Faro, e em novembro Valença é palco da maior feira romaria do Noroeste Peninsular: a Feira dos Santos.

Além disso, se aprecia gastronomia minhota, recomendamos que agende a sua visita para a altura dos Festivais Gastronómicos.

São quatro os principais Festivais Gastronómicos que acontecem em Valença:

  • Festival Gastronómico Sabores da Lampreia (em março);
  • Festival Gastronómico Sabores da Aldeia (em abril);
  • Festival Gastronómico Sabores Serranos (em maio);
  • Festival Gastronómico Sabores do Anho (final de agosto/princípio de setembro).

Como chegar a Valença

A partir da cidade do Porto recomendamos que escolha a A3 em direção a Valença.

Gostaria de conhecer melhor Portugal? Já publicámos vários artigos dedicados a destinos portugueses! Também organizamos viagens, veja algumas promoções em Ofertas de VIAGENS!

2

Percursos Marginais do Rio Minho

Trilhos em Melgaço

O trilho Percursos Marginais do Rio Minho está localizado em Melgaço, no Distrito de Viana do Castelo.

Trata-se de um percurso linear e sugerem-se nove paragens (A Vila de Melgaço, Monte Prado, Centro de Estágios, Rio Minho, a Levada, as Pesqueiras, a Geomorfologia e a Paisagem, o Alvarinho e as Termas); cada uma com motivos de interesse distintos.

Neste artigo vamos dizer-lhe o que pode esperar deste trilho, assim como dicas para estar bem preparado.

Pode começar na Vila de Melgaço e terminar nas Termas do Peso, ou fazer o percurso inverso.

Estações dos Percursos Marginais do Rio Minho

Se começar o trilho na vila, sugerimos que estacione o carro num dos locais que indicados no artigo sobre Melgaço.

Siga pela encosta das Carvalhiças até ao Monte Prado. Segue-se o Centro de Estágios e logo a seguir poderá desfrutar do que na nossa opinião é o troço mais agradável do trilho.

Poderá observar o Rio Minho desde um passadiço de madeira logo que passa pelo moinho.

Moinho junto ao Rio Minho

Sugerimos que faça uma pausa nos banquinhos de madeira existentes na Levada e nas Pesqueiras, mesmo antes de terminar o passadiço.

Dica extra: se estiver alojado no Monte Prado Hotel & SPA poderá inicar o percurso a partir deste ponto.

Em seguida entrará num trilho em terra batida que o levará à estação A Geomorfologia e Paisagem e onde poderá observar diferentes tipos de aves no Observatório de Avifauna de Monte Prado.

Continue o percurso e observe as zonas agrícolas onde predominam as vinhas do Alvarinho, antes de chegar ao final do trilho junto às Termas de Melgaço.

Dicas e conselhos

  • O trilho passa junto a propriedades privadas e é possível que encontre gado a pastar;
  • É recomendável que não saia do percurso marcado e sinalizado;
  • O acesso ao trilho não é permitido durante o período crítico de incêndios florestais;
  • Leve calçado confortável, água e snacks.

Gostaria de conhecer melhor Portugal? Já publicámos vários artigos dedicados a destinos portugueses! Também organizamos viagens, veja algumas promoções em Ofertas de VIAGENS!

0

Melgaço |o que visitar, fazer, hotel e restaurantes

Castelo de Melgaço

Melgaço é uma vila raiana pertencente ao distrito de Viana do Castelo. Neste artigo vamos indicar-lhe o que visitar, o que fazer, dicas de viagem, alojamento, restaurantes, como chegar e localização dos principais pontos turísticos desta vila minhota.

O que visitar em Melgaço

Termas de Melgaço

Termas de Melgaço

O Parque Termal do Peso, Estância Termal ou simplesmente Termas de Melgaço, é um local tranquilo onde se ouve o barulho da água a correr e o chilrear dos pássaros.

Quando visitámos as termas percebemos que o balneário estava fechado.

No entanto, e apesar de não as podermos frequentar, as termas estão inseridas num bonito local onde não faltam jardins, água e muitos sítios para relaxar.

As Temas de Melgaço fazem parte do trilho Percursos Marginais do Rio Minho, por isso sugerimos que considere visitar as termas enquanto percorre este trilho.

Castelo de Melgaço

Castelo de Melgaço

O Castelo de Melgaço é um monumento nacional cuja origem remonta a 1170 e foi construído por indicação do D. Afonso Henriques.

Tem uma planta arredondada e uma Torre de Menagem onde atualmente está instalado um Núcleo Museológico e de Pesquisa.

A Torre de Menagem é visitável e no interior poderá conhecer melhor a história e a importância que o Castelo de Melgaço desempenhou no desenvolvimento da região.

Portanto, está aberta ao público de terça-feira a domingo, das 9:30 às 13:00 e das 14:00 às 17:00 (de 1 de outubro a 31 de março) e das 9:30 às 13:00 e das 14:00 às 18:00 (de 1 de abril a 30 de setembro).

Solar do Alvarinho

Entrada do Solar do Alvarinho

O Solar do Alvarinho abriu portas no dia 8 de agosto de 1997 no Edifício dos Três Arcos e a sua missão relaciona-se com a defesa, promoção e divulgação do Vinho Alvarinho.

A melhor parte é que inclui uma Sala de Provas, Loja e Bar, além de uma exposição permanente de pintura.

Localiza-se na Travessa da Lage, em pleno centro histórico de Melgaço e a entrada é gratuita.

Estátua de Inês Negra

Estátua da Inês Negra

A Estátua de Inês Negra é de autoria do escultor José Rodrigues e está ligada a uma lenda popular antiga.

A heroína conseguiu evitar o confronto entre os exércitos de D. João I e de Castela ao lutar sozinha com a adversária e ganhou.

É uma estátua em bronze com base retangular de granito e poderá encontrá-la na Alameda da Inês Negra.

Igreja Matriz de Melgaço

Igreja Matriz de Melgaço

Conhecida como Igreja de Santa Maria da Porta ou Igreja Matriz, a sua construção teve início em em 1187.

Assim, e à semelhança de outros monumentos nacionais, sofreu várias alterações com o passar dos séculos.

Exibe dois portais românticos e uma torre sineira com um relógio.

O que fazer em Melgaço

  • Subir às muralhas do Castelo de Melgaço para uma vista privilegiada sobre o centro histórico;
  • Comprar Vinho Alvarinho, artesanato e queijo regional no Solar do Alvarinho;
  • Fazer os Percursos Marginais do Rio Minho de mochila às costas e máquina fotográfica à mão. Aproveite para observar diferentes tipos de pássaros no Observatório de Avifauna de Monte Prado: Petinha dos Campos, Noitibó Cinzento, Águia-Caçadeira e Tartaranhão-Azulado, entre outros.

Dicas de viagem

  • Estacione o carro num dos seguintes locais: perto do mercado municipal, na Alameda da Inês Negra ou junto aos Bombeiros Voluntários;
  • Percorra o centro histórico a pé;
  • Visite o mercado municipal onde os habitantes de Melgaço fazem as compras. Aproveite para comprar fruta e doces regionais.

Alojamento em Melgaço

Nós ficámos alojados no Monte Prado Hotel & SPA e recomendamos.

Nós temos condições especiais para este e outros hotéis na região, pelo que se tiver interesse poderá enviar-nos um email para reservapassaporte@gmail.com.

Restaurantes em Melgaço

Em primeiro lugar devemos mencionar que apenas experimentámos dois restaurantes.

Felizmente ambos agradaram-nos bastante: a Adega Sabino no centro de Melgaço e o Restaurante Foral de Melgaço que faz parte do Monte Prado Hotel & SPA.

A Adega Sabino é um sítio tradicional que serve comida muito saborosa e a preço justo. Nós deliciámo-nos com o cabritinho no forno e a posta grelhada.

Restaurante típico em Melgaço

O Restaurante Foral de Melgaço é um local moderno, tem um terraço com vistas para a montanha e os pratos são confecionados com bastante atenção ao pormenor. Gostámos particularmente do polvo.

Restaurante Foral de Melgaço

Como chegar a Melgaço e principais pontos turísticos

A partir do Porto, siga pela A3 em direção a Braga. Continue pela N101 para Valença/Monção/N202/Melgaço.

0

Barcelos | o que visitar, dicas e atividades.

escultura do galo de Barcelos

Barcelos é a cidade onde nasceu a Lenda do Galo. Neste artigo vamos indicar-lhe o que visitar e o que fazer quando estiver nesta região do Minho.

Por outro lado, vamos dar-lhe dicas de alojamento e disponibilizar um mapa para que saiba facilmente como chegar a Barcelos.

O que visitar em Barcelos

O Burgo Antigo

O Burgo Antigo foi onde se instalaram os primeiros habitantes de Barcelos. Inclui a Ponte Medieval, o Pelourinho, o Solar dos Pinheiros, a Igreja Matriz e o Paço dos Condes de Barcelos.

A Ponte Medieval é datada do século XIV e liga a cidade de Barcelos a Barcelinhos. É por esta ponte que tradicionalmente chegam os peregrinos do Caminho de Santiago.

Do lado de Barcelinhos, junto à ponte, está localizada a Capela de Nossa Senhora da Ponte, um edifício pequeno e construído numa zona movimentada da cidade.

O Pelourinho, também conhecido como picota, por em tempos ter estado instalado no Largo da Picota, foi classificado Imóvel de Interesse Público em 1933. Foi construído em granito e em estilo gótico.

Pelourinho ou Picota

O Solar dos Pinheiros é datado de 1448 e o edifício que nos chegou nos dias de hoje é o resultado de vários acrescentos que foram levados a cabo entre os séculos XV e XVII.

A Igreja Matriz de Santa Maria Maior foi construída no século XIV em estilo românico mas nos séculos seguintes foram-lhe adicionados detalhes góticos.

São de realçar os azulejos em tons de azul e branco que revestem o interior da monumento.

O Paço dos Condes de Barcelos, também conhecido como Paço dos Duques de Bragança, data do século XV.

Apesar de estar completamente em ruínas, é possível admirar nas paredes alguns vestígios de azulejos e o que restou de esculturas em granito.

Torre da Porta Nova

A Torre da Porta Nova fez parte da antiga muralha do século XV.

No entanto, hoje é um espaço de Turismo Criativo que enaltece as artes e ofícios tradicionais.

Dica extra: a visita da Torre da Porta Nova é gratuita e é possível subir até ao terraço onde encontrará uma vista fantástica da cidade de Barcelos.

Museu de Olaria

Em exposição no Museu de Olaria estão mais de 9000 peças de olaria provenientes da região de Barcelos, mas também de outras localidades portuguesas e países lusófonos.

O Centro de Documentação de Olaria tem como missão gerir e salvaguardar o acervo documental do Museu e apoiar o trabalho de estudiosos e investigadores.

O Museu de Olaria está localizado na Casa dos Mendanhas, sita na Rua Cónego Joaquim Gaiolas, em Barcelos.

Igreja de Nossa Senhora do Terço

Quem passa na Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, n.º 240, pode não perceber está perante uma igreja cujo interior está ricamente ornamentado.

De facto, o exterior simples contrasta com as paredes interiores revestidas de azulejos em tons de azul e branco, de onde sobressai um púlpito e altares em talha dourada.

Cruzeiro do Galo

Este cruzeiro em granito está diretamente ligado à Lenda do Galo de Barcelos.

Poderá encontrá-lo no número 4 da Rua Fernando Magalhães.

Igreja do Bom Jesus da Cruz

Este templo barroco é o palco central da tradicional Festa das Cruzes que anualmente se realiza em Barcelos.

O interior está decorado com azulejos azuis e brancos que representam cenas da via sacra.

Além disso, também tem interesse a escultura em madeira do santo padroeiro, Senhor Bom Jesus da Cruz, em tamanho quase real.

O que fazer em Barcelos

  • Provar o Bolo das Cruzes na Confeitaria Colonial;
  • Descansar no Jardim das Barrocas e Passeio dos Assentos;
  • Observar os peregrinos que percorrem o Caminho de Santiago;
  • Comprar peças únicas de olaria e artesanato;
  • Experimentar o vinho verde da região;
  • Descobrir a Rota do Figurado, que é um conjunto de peças de 18 peças distribuídas pela cidade;
  • Visitar a Pedra Furada a poucos quilómetros do centro histórico.
  • Fazer um passeio a pé com guia.
Local de interesse em Barcelos

Jardim das Barrocas e Passeio dos Assentos

Dicas de viagem

A cidade não é muito grande, pelo que pode perfeitamente explorá-la a pé.

Nas igrejas não é permitido fotografar nem recolher imagens de vídeo.

Sugerimos que estacione o carro em Barcelinhos, passe a ponte romana e visite tranquilamente os lugares que indicámos anteriormente.

Tenha em mente que à quinta-feira decorre a feira semanal, pelo que é normal que haja um pouco mais de movimentação.

Alojamento em Barcelos

Para uma experiência local e com ótima localização, recomendamos a Quinta de Santa Comba.

No entanto, caso esteja interessado nas comodidades de numa unidade hoteleira de luxo, sugerimos o Torre de Gomariz Wine & SPA Hotel.

Nós temos preços especiais para estes alojamentos, caso tenha interesse por favor envie-nos um email para reservapassporte@gmail.com.

Barcelos mapa

Gostaria de conhecer melhor Portugal? Já publicámos vários artigos dedicados a destinos portugueses! Também organizamos viagens, veja algumas promoções em Ofertas de VIAGENS!

6

5 atrações “riquíssimas” para visitar nos arredores de Paris

Atrações turísticas paria

A lista das principais atrações turísticas de Paris é extensa e, verdade seja dita, bastante conhecida pela generalidade de viajantes.

O que talvez não seja tão usual é deixarmos de lado a vibrante cidade parisiense e aventurarmo-nos pelos arredores de Paris.

Por esta razão, hoje vamos sugerir-lhe cinco atrações riquíssimas para visitar nos arredores de Paris, sendo que provavelmente não tinha pensado incluir pelo menos quatros desses locais na sua próxima viagem.

E sabe porque usamos o adjetivo “riquíssimas”? Porque estas recomendações além de indiscutivelmente acrescentarem valor à sua viagem, irão fazê-lo sentir um Lord, ou melhor, um Messieur (ou uma Lady/Madame no caso das meninas!), de tanto requinte que vai experienciar.

O Palácio de Versalhes

Em primeiro lugar teria de ser mencionado o Palácio de Versalhes.

É uma autêntica aula de história in loco que nos proporciona um melhor conhecimento da monarquia francesa e nos deixa de queixo caído com o esplendor da época.

No Palácio de Versalhes poderão desfrutar de várias atividades, nomeadamente a visita dos Aposentos do Rei Luís XIV, do Salão dos Espelhos e dos Aposentos da Rainha Maria Antonieta.

No entanto, o nosso destaque vai para os Jardins do Palácio de Versalhes que são conhecidos pela sua exuberante beleza.

Em determinados dias da semana pode ainda assistir a um espetáculo com águas dançantes.

Visitar a Província de Champagne

Se nunca experimentou o verdadeiro champanhe, está na altura de o fazer, e certamente não existe melhor local do que a região famosa pela produção desta bebida!

Existem várias adegas e produtores de champanhe mas já que estamos em modo “atrações riquíssimas”, recomendamos que visite a casa do Moët & Chandon, que inclui uns impressionantes vinte e oito quilómetros de adegas que protegem o precioso líquido.

Já agora, se quiser, pode prestar homenagem a Don Perignom, o ilustre monge beneditino que tornou famoso o champanhe, poderá fazê-lo junto à capela onde repousa.

O Castelo de Chambord

O Vale do Loire é conhecido pelos castelos exuberantes e o Castelo de Chambord é o maior da região.

Foi mandado construir por Francisco I para servir de pavilhão de caça e mostra bem o nível de riqueza que a família real podia dispor.

O Castelo de Amboise

O que nos chegou aos dias de hoje do Castelo de Amboise é apenas uma pequena parte do castelo original.

Mesmo assim, merece bem a pena a visita, especialmente o edifício adjacente ao castelo: a Capela Saint-Hubert.

É que a Capela Saint-Hubert tem um célebre hóspede: Leonardo Da Vinci. Sim, o responsável por tantas obras primas “riquíssimas” atualmente espalhadas por diversos pontos do continente europeu tem Amboise como última morada.

O Castelo de Chenonceau

Também é conhecido como o “Castelo das Sete Damas”, foi construído junto ao Rio Cher na localidade de Chenonceaux.

A particularidade e motivo de interesse principal deste castelo é o riquíssimo interior, nomeadamente as mobílias, os quadros e peças de decoração variadas.

Assim, não se espante se a sua mente divagar enquanto deambula do Quarto de César de Vendôme para o Quarto de Catarina de Médici.

Estas são as 5 atrações “riquíssimas” para visitar nos arredores de Paris que acreditamos que irão completar a sua próxima viagem à capital francesa.

*post patrocinado.

0

Festa das Cruzes | Barcelos

Festa das Cruzes em Barcelos

A Festa das Cruzes em Barcelos é considerada a mais antiga romaria do Minho. É também a maior romaria minhota que junta em Barcelos milhares de visitantes que em onze dias revivem tradições antigas e desfrutam do que a região tem de melhor para oferecer.

Barcelos ganha nova vida e animação com os tapetes de flores, a grande procissão, mostras de artesanato e folclore.

O recinto da Festa das Cruzes

A Festa das Cruzes acontece um pouco por toda a cidade mas as barraquinhas de venda estão localizadas no Campo da Feira.

Nesta feira poderá encontrar vários tipos de artigos à venda: produtos tradicionais e artesanato, comidas e bebidas, mas também roupa e artigos para o lar.

Os Arcos de Romaria da Festa das Cruzes

Os Arcos de Romaria tornaram-se uma verdadeira atração turística!

Surgiram na década de setenta do século XX e são contruções de grande dimensões, algumas com doze metros de altura, que embelezam o recinto da feira.

Cada freguesia orgulhosamente constrói o seu arco que conta um pouco da sua história.

Atuação de Zés Pereiras

Programa da Festa das Cruzes

A Festa das Cruzes decorre entre os dias 25 de abril e 05 de maio de 2019 e o programa completo pode ser visto na página de facebook do Município de Barcelos.

No entanto, gostaríamos de destacar os seguinte eventos:

  • 29 de abril (segunda-feira): comemoração do Dia Mundial da Dança, às 19:30, na avenida da Liberdade.
  • 30 de abril (terça-feira): Espetáculo Dulce Pontes, às 22:00, na Frente Ribeirinha.
  • 01 de maio (quarta-feira): Concerto de Bandas Filarmónicas, às 10:30 e 21:30, na avenida da Liberdade.
  • 02 de maio (quinta-feira): Espetáculo Toy, às 22:00, na Frente Ribeirinha e Fogo Preso às 00:00 no Largo da Porta Nova.
  • 03 de maio (sexta-feira): Grandiosa Procissão da Invenção da Santa Cruz, às 17:30.
  • 04 de maio (sábado): Folclore de Rua às 10:30 nas Ruas da Cidade.
  • 05 de maio (domingo): III Festival Folclore as Cruzes, às 15:00, na Avenida da Liberdade.

Como chegar a Barcelos

Gostaria de conhecer outras cidades portuguesas? Sugerimos Cabeça, a aldeia que no Natal se veste a rigor mas que durante o resto do ano é igualmente bonita!

Além disso, saiba que publicamos conteúdo novo no facebook  e no instagram e as mais recentes promoções de viagens são publicadas no grupo Ofertas de VIAGENS. Já nos segue por lá?

2

Tailândia, roteiro & dicas de viagem

Long Beach

Roteiro & dicas de viagem | Tailândia

O artigo que se segue foi-nos enviado pela Sofia Novais que visitou recentemente a Tailândia. Ela adorou a viagem e quis partilhar connosco a sua experiência!

Obrigada, Sofia, a palavra é tua 🙂

20/10 – 12:15 – OPO – BKK

21/10 18:25h

Chegamos a BKK – IBIS Styles Bangkok – Muito porreiro e bom pequeno- almoço.

22/10 – Templos

GRAND PALACE – Grande Palácio Real // Morada: Na Phra Lan Road, Old City (Rattanakosin) // Horário: 08h30 – 15h30 // preço 500 bht (12,50 €).

Construído em 1782, o Grande Palácio Real foi, durante cerca de 150 anos, a residência oficial da família real da Tailândia.

Hoje em dia é uma das principais atracções de Bangkok e o local usado para comemorações e cerimónias oficiais.

É composto por uma série de outros edifícios onde se inclui o já referido Wat Pra Kaew.

É importante ter em atenção que o código de vestuário no Grande Palácio Real é bastante rigoroso. As mulheres não podem entrar de ombros e pernas à mostra e os homens deverão usar calças compridas e camisas/tshirts com mangas.

No entanto, podemos comprar t-shirts e panos para enrolar à volta das pernas à entrada. No entanto, é sempre melhor levarmos a nossa própria roupa.

tailandia

WAT PRA KAEW – Templo do Buda de Esmeralda // Morada: Fica dentro do GRANDE PALACE.

O Wat Pra Kaew é um dos 3 mais visitados. Um dos seus principais atractivos é o Buda Esmeralda esculpido numa pedra de Jade com 66 cm de altura.

É um espaço enorme, com 94 hectares, preenchido por cerca de 100 edifícios.

Podes contratar um Guia no interior do recinto ou alugar um audio-guia por 200 bahts e 2 horas para ficares a perceber melhor a história por trás deste templo majestoso.

tailandia

WAT PHO – Templo do Buda Reclinado // Morada: Maharat Road, Old City (Rattanakosin) // Horário: 08h – 17h // preço 100 bht (2,50 €) // obs: fica ao lado do GRANDE PALACE.

O Wat Pho é o segundo dos 3 templos budistas mais visitados em Bangkok e um dos maiores e mais antigos também.

Uma das suas principais atrações é o famoso Buda reclinado dourado com 15m de altura e 43m de comprimento, e pés de 4m decorados com madre-pérola.

O templo está localizado mesmo ao lado do Grande Palácio Real. Curiosamente é também o local onde se encontra a primeira escola de Massagem Tailandesa, por isso podes aproveitar para descansares o corpo depois da visita ao templo, com uma massagem tailandesa original.

tailandia

⦁ WAT ARUN – Templo da Madrugada // Morada: no lado oeste do Rio Chao Praya (lado oposto ao cais Tha Thien) // Horário: 08h – 18h // 100 bahts (2,50 €)

O Wat Arun é o 3º templo budista mais visitado em Bangkok. O seu nome significa “Templo da Madrugada” e está localizado do outro lado do rio, no lado oposto do Grande Palácio Real e do Wat Pho.

O templo é especialmente conhecido pela sua Torre em estilo Khmer com 82m de altura, rodeada por 4 torres mais pequenas decoradas com cerâmica chinesa.

Oferece um cenário fantástico ao pôr-do-sol, no entanto a melhor altura para visitá-lo é de manhã bem cedo para evitar as multidões.

Para chegares até lá precisas de apanhar um barco no cais Sapphan Taksin e sair no cais 8. Daqui e por apenas 3 bahts, és levada num barco shuttle até ao outro lado do rio onde se encontra o Wat Arun. – não chegamos a visitar

23/10 – Mercados

Mercado do Trem: O Mercado do Trem da Tailândia, que muita gente acha que fica em Bangkok, está localizado em Maeklong, uma província que fica a cerca de 70 km de Bangkok.

A maneira mais fácil de chegar lá é contratando um tour saindo de Bangkok. As agências oferecem diversas opções de tours e passeios.

Eu escolhi o combinado: Maeklong Railway Market (Mercado do Trem) + Damnoen Saduak Floating Market (Mercado Flutuante).

Flutuante: O Damnoen Saduak é o mais famoso mercado flutuante em Bangkok e aconselha-se uma visita de manhã cedo.

Está localizado a cerca de 30/40 minutos de Bangkok na província de Ratchaburi e aberto diariamente, das 07h às 12h.

Podes meter-te num tour para ir até lá ou então apanhares um táxi até ao Terminal de Autocarros Sai Tai Mai Taling Chan e apanhar o autocarro #78 que te deixa a 1km do mercado.

Daí podes ir a pé ou apanhar um táxi até lá. // 60km de BKK – neste mercado é tudo muito mais caro, não compensa comprar nada.

Procuramos uma agência de Rua e por 300 baths conseguimos fazer as duas visitas , sendo que o barco para percorrer o mercado flutuante são mais 1000baths por pessoa (muitas agencias dizem que por 150baths se arranja no loca –não é verdade, a não ser que se trate de um grupo grande, aí sim, divide-se o valor do barco por todos.

Este é um passeio de meio dia, saindo às 7 da manhã do hotel e retornando logo após o almoço – perto das 13h00.

Tudo o que quisermos comprar, é em BKK que é o sítio mais barato da Tailândia.

Em BKK andamos sempre de Tuk Tuk sendo que temos que negociar tudo, sem problemas, há muita oferta e os preços descem quase 50% seja em transportes ou lojinhas de rua.

MBK Center (na minha opinião, não vale mesmo a pena, é uma loja chinesa em tamanho gigante)

Zonas de animação Noturna:

⦁ Khaosan Road ( a zona do hotel onde ficamos): à noite, podemos passear pela rua Khao San, que é uma rua super movimentada, com lojas, restaurantes, massagem, montes de pessoas na rua.

⦁ Sky bar – Lebua State Tower Hotel:
Caro – gastamos cerca de €20 numa bebida, mas a vista do 64º andar deste edifício, é daquelas imagens que ficam registadas na nossa memória. Ambiente 10 estrelas, bebidas e atendimento ao mesmo nível, obrigatório ir.

tailandia

24/10

Dia livre até aprox. 17h // VOO BKK (DMK AIRPORT) – CHIANG MAI 21:10h //22:20h // Ida para Hotel – ficamos num bem simples mas que gostamos bastante até do pequeno-almoço – Lamphu House Chiang Mai – contratamos o transfer do hotel.

25/10 – Templos:


⦁ Doi Sutep (o templo da montanha): Esse templo fica no alto de uma montanha, e o caminho para chegar até lá é uma estrada linda e bem sinuosa.

Aos poucos a cidade vai ficando pequena lá em baixo e até sentimos um ventinho gelado, pra refrescar o calor da Tailândia.

Como se não bastasse subir durante todo o percurso na estada, na entrada do templo temos que encarar uma escadaria enorme, com 300 degraus, então, é preparar o folego e sobir porque o templo compensa tudo.

Para chegar lá precisamos de contratar um songthaew (red truck) privado por 400 Bath ou ir até o Chang Phuak Gate (na frente do 7Eleven – supermercado que nos matou a fome em alguns dias de más refeições, super barato) de onde saem os yellow trucks públicos que custam 60 Bath por pessoa até lá.

Ou ainda alugar uma scooter. – Optamos por o red truck que nos levou a mais que um local e esperou por nós até ao regresso. Aqui temos que levar ombros e pernas tapadas mas emprestam uma “bata”comprida em troca de uma doação a buda.

Os Red Truck:

tailandia

Doi Sutep:

tailandia
tailandia

Tribo das Mulheres-girafa: 119/9 Tapae Rd., Muang District, Chiang Mai Thailand 50100 | baantongluang.com
⦁ Quanto custa a entrada na Tribo das Mulheres-girafa: Entrada: 500 Bahts (€15) muito caro para uma aldeia tão pequena em que para tirar fotos por vezes temos que gastar dinheiro a comprar alguma coisa, a visita são 20 minutos. Só depois percebemos porque nunca aparecia nos sítios mais visitados, na compensa de facto. Visitamos quando descemos do Doi Sutep.

tailandia

Wat Lok Molee: É um dos templos mais antigos da cidade, lá do século 14 quando foi construído para ser o Templo Real e vale muito incluir no roteiro por ficar praticamente na frente de um dos portões da Cidade Antiga de Chiang Mai.
Wat Phra Singh: É um dos maiores templos-complexo da Chiang Mai e fica dentro da Cidade Antiga. 
Chedi Luang: Esse templo foi construído em 1401 e apesar do terremoto de 1545, o templo continua lá com seus elefantes esculpidos nas laterais. Ele fica exatamente no centro da Cidade Antiga e é onde está o guardião de Chiang Mai. Entrada: 40 baht
Wat Si Suphan: O templo de prata é um dos templos mais bonitos da cidade. Ele todo feito de prata e alumínio esculpidos por monges artesãos de Chiang Mai. No sábado fica todo iluminado por causa do Saturday Night Market e tem Monk Chat. 
Chiang Mai é cheia de Templos, é tudo lindo!!!

tailandia

26/10 –Elephants Nature Park – Santuário dos Elefantes (2500 thb)

Visitamos este porque se trata de um santuário de resgate de animais maltratados (principalmente em circo) dos poucos (senão o único) em que não é permitido montar os elefantes nem obriga-los a tomar banho, apenas os podemos alimentar, são voluntários que nos guiam a visita e 90% do que pagamos é para gastos com os animais (alimentação, veterinário etc).

Acolhem outros tipos de animais e é notória a dedicação de todos.

A NOITE – Visitar um Mercado Noturno

⦁ Night Baazar
⦁ Ploen Ruedee Night Market
De perder a cabeça com tantas lojinhas de rua com artesanato – fecha tudo mais tarde que o normal (1h da manhã, enquanto em Bkk a partir das 22h a cidade “morre”).

27/10 – Manha livre // VOO CHIANG MAI – KRAB (15:10h // 18:35h) + seguimos de transfer para RAILAY BEACH.

Para chegar a Railay Beach usamos camioneta, mota com atrelado, barco e trator, tudo muito prático!! Até nos instalarmos no Sunrise Tropical Resort – e adoramos tudo nesta ilha.

Dá para conhecer toda a ilha a pé, a noite também acaba à 1h da manhã, o por do sol é fantástico, os bares de praia com esteiras na areia são fantásticos, o ambiente é descontraído, tem praias paradisíacas.

Nas ruas só se caminha ao som de Bob Marley ou Jack Johnson.

tailandia

A famosa cave da fertilidade:

tailandia

A praia:

Visita obrigatória – “o bar “Black Pearl”- boa música e como tudo nesta ilha – muito boa onda emTonsai.

tailandia

Aqui na praia ao final do dia, é ótimo para beber um cocktail num dos barzinhos que disponibiliza umas esteiras para nos sentarmos a apreciar o pôr do sol:

tailandia

30/10 – RAILAY BEACH / PHI PHI (ko phi phi don)

Apanhamos logo ferry pela manha (chegar a phi phi pelas 12:00h)

31/10 – PHI PHI

Ficamos instaladas num hotel super simples e também gostamos – “The Cobble Beach”.

Por esta ilha não há outra hipótese senão andar a pé ou de “táxi boat”. É uma zona bastante turística e há festas de praia e barzinhos abertos até tarde.

Quase nos sentimos “em casa” com tanta gente brasileira e simpática que ali habita.

Disseram-nos eles, que a melhor altura para ir à Tailandia é mesmo antes de 01 de dezembro, depois disso, entrando época alta, quase nada é negociável e tudo bem mais caro.

Fizemos um passeio de barco de meio dia no valor de 600 baths que negociamos por 300baths que vale muito a pena.

O passeio começa às 13h e termina às 19h, com direito a várias paragens para mergulhar, conhecer as famosas “monckey beach”, “Maya Bay” (nesta o barco não pode parar, está interdita por as âncoras dos barcos terem estragado os corais, não existe previsão de reabertura), fazer snorkeling e acabar a ver o fantástico pôr do sol no meio do mar e mergulhar perto de uma gruta para ver a “água a reluzir”.

Long Beach (40 minutos a pé mas extremamente cansativo o percurso para lá fomos a pé mas no regresso, por 100baths (€2.7) contratamos um barco do cais principal até esta praia deslumbrante – não perder mesmo!

Long Beach

Koh Phi Phi Viewpoint – Subir por volta das 17h – Longa caminhada e muitooss degraus, subida bem estreita mas no fim é o por do sol mais lindo de sempre! Custa 30Baths (menos de 1€)

Koh Phi Phi Viewpoint

01/11 – PHI PHI / AO NANG

– apanhar o ultimo ferry

02/11 – AO NANG // KRABI – VOO KRABI – BKK as 15:40h//17:00h – (ficamos num hostel pois era só uma noite)

03/11 01:55h// 18:25h – BKK – OPO

Não conseguimos visitar mais do que isto e ainda assim muito tempo foi passado entre viagens mas é uma viagem simplesmente inesquecível.

Os voos principais foram comprados com pouco mais de 2 meses de antecedência pela Etihad e ficaram por 600€ certos.

Os internos ficaram por cerca de 90€. Penso que é possível conseguir mais barato se contratarmos companhias diferentes no entanto muito arriscado para fazer escalas, se o tivéssemos feito tínhamos perdido 1 voo.

O custo médio por dia de todos os hotéis foi de €17, o Ibis foi o mais caro.

Além deste dinheiro carreguei o meu Revolut com € 600 e foi este o valor que gastei para jantares e hotéis (reservados no booking) durante todos estes dias e mais € 100 que levava em dinheiro.

Não nos livramos das taxas de levantamento que o próprio país cobra, são cerca de €5 por cada um.

Pagamos o máximo que conseguimos por Multibanco sendo que é quase sempre cobrada uma taxa de 3%, no entanto compensa.

Em média por refeição gastamos 6€ por cada uma, como não aprecio comidas muito picantes optei quase sempre por italiano, apenas 2 dias comi comida tailandesa e um dos pratos adorei.

Comer na rua não foi uma opção devido à higiene e ao cheiro da comida que se sente principalmente em BKK, enjoa, é uma cidade muito suja.

Conclusão:

Fomos 3 e pretendemos regressar, adoramos e é opinião é que BKK é o lugar onde se pode ficar menos tempo.

Teríamos ficado mais dias nas Phi Phi e em Railay Beach.

Na memória, trago registada o excelente acolhimento dos tailandeses, a honestidade (vemos telemóveis sozinhos a carregar em qualquer lado, árvores com notas penduradas para buda, por exemplo), a segurança que se sente nas ruas e em qualquer lado da Tailândia, é inacreditável!

É um povo maravilhoso embora falem para nós em tailandês pois poucos sabem inglês mas em todo o lado se vê um esforço para agradar e sente uma boa energia contagiante.

É daquelas viagens que nos faz aprender que é possível ser-se feliz com muito pouco.

O passaporte no bolso agradece à Sofia a partilha do roteiro e dicas de viagem para a Tailândia!

Não se esqueça que as mais recentes promoções de viagens são publicadas no grupo Ofertas de VIAGENS e diariamente disponibilizamos conteúdo novo no facebook  e no instagram.

2

AMI Aventura Solidária | divulgação de projeto

AMI Aventura Solidária

O blogue passaporte no bolso foi recentemente contactado pela AMI – Assistência Médica Internacional que nos deu a conhecer o projeto AMI Aventura Solidária.

Este projeto existe desde 2007. Portanto há mais de uma década que viajantes se associam às missões humanitárias da AMI, co-financiando e participando em projetos de desenvolvimento.

As principais áreas de atuação destes projetos abrangem a Saúde, Educação, Ambiente e Cidadania. Isto traduz-se numa clara melhoria das condições de vida das populações locais.

Meus amigos, para além de irem conhecer sítios magníficos que não aparecem em roteiros turísticos, vão conhecer a realidade quotidiana de comunidades isoladas e distantes!

Para 2019 estão previstas Aventuras Solidárias em três países:

Brasil (21 a 30 de junho);

Senegal (19 a 28 de abril / 1 a 10 de novembro);

Guiné-Bissau (25 de abril a 5 de maio / 28 de novembro a 8 de dezembro).

Como acreditamos que viajar é muito mais do que tirar férias, sentimos a obrigação de partilhar e divulgar este projeto.

Recomendamos, é claro, que visitem o site do Projeto AMI Aventura Solidária para o esclarecimento de todas as dúvidas.

Aí pode ficar a saber, por exemplo, a quem se destina este projeto e quem beneficia da Aventura Solidária.

Além disso, também conhecerá qual o investimento necessário e como é feita a inscrição.

Boas viagens e enviem-nos fotografias da vossa Aventura Solidária!

0

Cabeça Aldeia Natal | Seia, Serra da Estrela

Cabeça Aldeia Natal

A iniciativa Cabeça Aldeia Natal já vai na quinta edição mas o passaporte no bolso apenas este ano teve oportunidade de a visitar. Encontrámos tudo aquilo que estávamos à espera e muito mais! Cabeça é o nome da aldeia do distrito de Seia que serve de palco a esta iniciativa. A particularidade deste evento é que as decorações de Natal que adornam as ruas e praças da aldeia são construídas pelos próprios habitantes com recurso a desperdícios provenientes da serra. Sem dúvida que Cabeça Aldeia Natal merece a sua visita!

Cabeça Aldeia Natal

Cabeça Aldeia Natal

Como chegar a Cabeça Aldeia Natal

Nós viajámos do Porto e o percurso que escolhemos foi o seguinte: Seguimos pela A1 no sentido Sul até ao IP3 em direção a Viseu. Depois continuámos até à saída de Nelas e a seguir a Nelas continuamos pela N231 em direção a Seia e continue até encontrar a sinalização de Cabeça.

Programa (dias 5 e 6 de janeiro) *

Dia 05 janeiro | Sábado 

14h00_Abertura do Mercado de Natal 15h00_Presépio Vivo

15h30_”Estotuna D’Espital” (Tuna da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital-IPC)

17h00_A Magia da Iluminação de Natal – Acender das Luzes

Dia 06 janeiro | domingo

14h00_Abertura do Mercado de Natal

15h00_Presépio Vivo

15h15_Concerto com o Grupo Sénior do Centro de Apoio à 3.ª Idade de Cabeça

15h30_Concerto com o Grupo de Concertinas Sons e Tradições do Alva

17h00_A Magia da Iluminação de Natal – Acender das Luzes

Outras sugestões de passeios na Serra da Estrela

Se tiver tempo, o que acha de visitar outros sítios na Serra da Estrela? Nós aproveitámos para visitar a Aldeia da Dez, que falaremos noutra altura.

De qualquer forma Piódão, Foz D’Égua e Chãs de Égua não são muito longe de Cabeça.

Por fim, se tem interesse em ver mais fotografias de Cabeça Aldeia Natal sugerimos que nos siga no facebook  e no instagram, onde diariamente publicamos conteúdo novo.

Gostaria de conhecer melhor Portugal? Já publicámos vários artigos dedicados a destinos portugueses! Também organizamos viagens, veja algumas promoções em Ofertas de VIAGENS! E não se esqueça de nos acompanhar no Instagram.

2

IATI Seguros de Viagem | a nossa escolha!

IATI Seguros de Viagem

A IATI Seguros de Viagem entrou na vida do blogue passaporte no bolso por altura do 1º Encontro de TravelBloggers que se realizou em Penafiel nos dias 20 e 21 de outubro. Se quer saber mais sobre este evento veja aqui.

No artigo de hoje vamos falar em pormenor das razões que nos levaram a escolher a IATI Seguros de Viagem como a nossa Companhia de Seguros de Viagem e como os leitores do passaporte no bolso podem beneficiar de descontos no seguros de viagem. Vamos a isso?

IATI Seguros de Viagem

Paixão por descobrir o mundo. Este é o lema da IATI Seguros e que nos conquistou em meio segundo. Veja aqui como nos apresentamos ao mundo e facilmente percebe que também nós queremos conhecer o mundo.

Como nos identificámos com a IATI Seguros, quisemos saber mais e rapidamente chegámos à conclusão que tínhamos encontrado um Seguro de Viagem perfeito para nós! E sabe o que é fantástico? É que a IATI Seguros é especialista em seguros de viagem e muito certamente vai encontrar o seu Seguro de Viagem Perfeito! E se acha que todos os seguros são iguais seguem-se algumas características diferenciadoras:

  • Sem franquias: As franquias podem ser um problema pois podem ser tão altas que não compense acionar o seguro. Os Seguros da IATI não têm franquias.
  • No seu idioma: Sim, eles falam Português! Já basta o stress da situação em si, ainda temos de pensar como explicar o  que aconteceu numa língua estrangeira? Com a IATI Seguros isso não acontece!
  • Sem adiantar dinheiro: O que faz se não tiver dinheiro consigo e necessitar de assistência? Não há problema, com os seguros da IATI não é preciso pagar no momento e pedir o reembolso mais tarde. Até porque sabemos que os processos burocráticos podem ser bastante demorados.
  • Para aventureiros: Mais 50 desportos radicais estão incluídos, confirme se também lá está a sua atividade radical preferida!
  • Repatriação:  Em caso de doença ou acidente grave a IATI Seguros cobre 100% (ilimitado) o transporte de regresso a casa no caso de ser
    considerado necessário ou em caso de falecimento.
  • Equipamentos: Os computadores pessoais, tablets, discos rígidos, as câmaras, complementos de fotografia, radiofonia, de registo de som ou da imagem, bem como os seus acessórios, ficam compreendidos até 50% da quantia segurada sobre o conjunto da bagagem.

Então, que tipo de seguro de viagem devo subscrever?

Melhor custo-benefício para viagens de férias curtas ou escapadelas a destinos próximos pela Europa.IATI Básico

O seguro ideal para viagens com destino aos países europeus, sudeste asiático, viagens por mais de 30 diasIATI Standard

Cobertura ideal para viagens a países onde os custos médicos são elevados como EUA, Canadá, Japão, Austrália.IATI Estrela

Especialmente pensado para os mochileiros que desejam aventurar-se em novos destinos e amam desportos radicais.IATI Mochileiro

O seguro pensado para que tenhas tranquilidade diante de imprevistos.IATI Cancelamento

[*a informação anterior foi retirada do site da IATI e pode ser atualizada a qualquer momento.]

Como anunciei, os leitores do blogue passaporte no bolso têm desconto de 5% no seguro, em comparação com os preços praticados pelo site da própria Companhia de Seguros. Isto significa que fica mais barato comprar através do blogue passaporte no bolso do que diretamente à IATI! 

IATI seguros de viagem

*este post pode conter links afiliados.

6

Nantes | o visitar na cidade da linha verde

Le Lieu Unique em Nantes

Le Lieu Unique em Nantes

Le Lieu Unique em Nantes

Le Lieu Unique em Nantes é mesmo um lugar único!

A antiga fábrica de bolachas “LU” deu lugar a um moderno espaço multifuncional que serve de ponto de encontro para viajantes e locais.

É um Centro Contemporâneo de Artes e Música mas também um bar, restaurante e livraria.

Como vê, motivos não lhe faltam para visitar Le Lieu Unique em Nantes!

Sendo um espaço multifuncional, os visitantes podem usufruir do ambiente de várias maneiras.

Em primeiro lugar, o Le Lieu Unique oferece um bar e restaurante.

Estes são os locais ideais para uma pausa ou para tomar alguma coisa a meio da tarde.

No entanto, o restaurante tem um horário alargado o que possibilita uma refeição num ambiente mais descontraído.

Por outro lado, o Le Lieu Unique também é livraria pelo que é o sítio perfeito para comprar literatura francófona.

Por último, e se for essa a sua vontade, no Le Lieu Unique tem a possibilidade de relaxar num SPA contemporâneo.

Como chegar ao Lieu Unique

Nós deslocámo-nos a pé na nossa visita a Nantes porque ficámos alojados junto ao centro mas para quem precisar de se deslocar aqui ficam as coordenadas:

Autocarro: Linha C2 e C3, sair em Lieu Unique.

Para quem tiver carro alugado, os principais parques de estacionamento nos arredores são:

Duchesse Anne, Allée Baco
Parking de la Cité
Le Centre des Congrès

Localização do Lieu Unique

O Le Lieu Unique está localizado no número 2 da Rue de la Biscuiterie.

Jardin des Plantes de Nantes

Jardin des Plantes Nantes

Este jardim é o sítio ideal para fazer uma pausa do burburinho da cidade e descontrair, mas também para se conectar no WiFi gratuito existente em algumas áreas.

Atenção, porque se está a viajar com crianças estas pausas são importantes, pois vão permitir que os miúdos dediquem algum tempo a brincar e não fiquem demasiado aborrecidos!

No entanto, a família também beneficia de tempo de qualidade.

Aliás, nós vimos famílias como nós, mas também casais de namorados e pessoas mais velhas.

Em primeiro lugar deixe-me descrever o Jardin des Plantes: sete hectares de terreno verdejante inserido em plena cidade de Nantes e onde as plantas são a principal atração!

Também dispõe de uma biblioteca que inclui livros especiais dedicados à botânica para os mais interessados pelo tema.

Por outro lado, em alturas específicas (como é o caso do mês de abril) facilita visitas temáticas cujo programa pode ser consultado no site oficial.

Horário do Jardin des Plantes

O Jardin des Plantes está aberto de segunda a sexta das 12:30 às 18:00 e ao sábado e domingo das 9:30 às 18:00.

Nós percebemos que muitas pessoas aproveitam a hora de almoço para passear neste jardim.

Aliás, era comum vermos grupos a almoçarem juntos em piqueniques improvisados; as pessoas chegavam, estendiam uma toalha no chão, tiravam os sapatos e sentavam-se a almoçar e conversar!

Entrada: gratuita.

Machines de L’Île de Nantes

Machines de L'Ile

Machines de L’Île Nantes é um espaço que é uma combinação de projeto artístico, parque de diversões e exposição temática inspirados no trabalho de Júlio Vernes.

Atrações principais

Le Grand Élephant

É um robot de madeira e metal com 12 metros de altura, 8 de largura e com um peso de 48,4 toneladas.

É um pouco bizarro ver um equipamento robotizado desta envergadura sair a passo lento para a rua, com movimentos e sons muito semelhantes a um elefante verdadeiro.

Apesar de o corpo do animal ser revestido a madeira, os olhos piscam, as orelhas abanam e a cabeça eleva-se.

Para completar o espetáculo o elefante liberta água sobre a multidão que observa a passagem do animal.

Le Carrousel des Mondes Marins

Este carrosel é especial pois está repleto de criaturas marinhas saídas das obras de Júlio Vernes, sendo necessário bilhete específico.

La Galerie des Machines

A Galeria das Máquinas é um espaço de experimentação e observação das máquinas. E que máquinas são estas?

Imagine uma aranha gigante aninhada numa cratera no chão, uma formiga que é conduzida por quatro pessoas, aves que sobrevoam o espaço da galeria.

O melhor é que as apresentações são acompanhada por monitores que explicam como funcionam as máquinas e constroem histórias à volta dessas máquinas.

Por outro lado, além das máquinas também poderá observar uma pequena floresta tropical com inquilinos também robotizados.

La Branche Protoype de L’arbre aux hérons

O bilhete de entrada na galeria das máquinas permite-lhe o acesso a este projeto que ainda está em construção.

Então, suba pelo lado oposto à galeria das máquinas e antes de entrar na árvore das Garças tem a oportunidade de espreitar o estaleiro onde são desenhadas e construídas as máquinas.

Entretanto, passeie pelos passadiços de madeira, de onde terá uma vista privilegiada sobre a cidade de Nantes.

Dicas para visitar Machines de L’Île

Há diferentes tipos de bilhetes: viagem do elefante, carrossel (com e sem guia) e galeria das máquinas.

Assim, se não quiser comprar o bilhete a viagem do elefante, pode perfeitamente assistir à viagem a partir da rua.

Horário de Machines de L’Île Nantes

A bilheteira está aberta das 10:00 às 19:00 nos meses de julho e agosto mas nos restantes meses tem um horário reduzido.

Localização de Machines de L’Île Nantes

Machines de L’Île está localizada no Parc des Chantiers, Boulevard Léon Bureau, em Nantes, França.

Église Sainte-Croix de Nantes

Église Sainte-Croix

A Église Sainte-Croix foi construída no século XVII no estilo clássico. Todavia, sofreu algumas alterações no século XIX, a mais importante das quais foi a adição de um campanário.

Esta igreja é muitas vezes comparada à Cathédral Saint-Pierre et Saint Paul, também conhecida como Catedral de Nantes.

Apesar de serem as duas igualmente magníficas, não me parece justo comparar uma catedral a uma igreja, portanto, se tiver oportunidade, visite os dois monumentos.

Quem vê o exterior da Église Sainte-Croix poderá ficar dececionado com o interior.

Do lado de fora sobressai o campanário devidamente ornamentado com múltiplas esculturas.

É também no campanário que se abriga o maior sino de Nantes, com mais de oitocentos quilos.

No entanto, o interior é de uma simplicidade austera.

O ponto para onde os olhares se costumam dirigir é a parede onde estão expostos os vitrais. O colorido, de facto, sobressai no conjunto um pouco monótono.

Foi nesta igreja que decorreu o batizado do ilustre autor Júlio Verne.

O horário da igreja de segunda a sábado é das 8:00 até às 19:00 e ao domingo das 10:00 até às 19:00.

Tenha em atenção que a missa é celebrada neste local, por isso evite as visitas nessa altura.

A igreja é acessível a pessoas com mobilidade reduzida: entre no portão pelo lado direito e continue em frente até uma porta larga sem degraus.

Entrada: gratuita.

Localização da Église Sainte-Croix

A Église Sainte-Croix está localizada na Place Sainte-Croix, em Nantes.

Place Graslin em Nantes

Place Graslin em Nantes

A Place Graslin é um local bastante frequentado, quer por turistas, quer por locais.

Em dias quentes o chafariz existente no centro da praça faz descer as temperaturas e é um entretenimento para os mais novos.

Por outro lado, na altura do Natal constroem uma árvore bem colorida que é o cenário perfeito para fotografias em família.

Uma característica desta praça e que a torna especial é a existência de candeeiros de rua únicos! Portanto, dedique uns minutinhos da sua viagem a apreciá-los.

Tenha em atenção que a Place Graslin tem circulação pedonal e rodoviária, pelo que sugerimos que não se distraia enquanto observa as variadas boutiques e restaurantes.

Se tiver sorte pode ser que tenha a oportunidade de assistir a um espetáculo de animação de rua, que por lá são frequentes.

Nesta praça destacam-se dois locais: o Restaurante La Cigale e o Théatre Graslin.

Restaurante La Cigale

Restaurant La Cigale

O edifício do La Cigale está classificado como monumento histórico.

Num estilo Belle Époque e com funcionários vestidos a rigor, a reserva é obrigatória.

Théâtre Graslin

Outra atração turística de Nantes, o Théâtre Graslin tem entrada pela Rua Moliere.

No entanto, a escadaria do teatro é muito procurada por viajantes que pretendem descansar um bocadinho e ter uma vista elevada da praça.

Também é comum ver-se pessoas a almoçarem nesta escadaria.

Château des Ducs de Bretagne

Châteaux des Ducs de Bretagne

O Château des Ducs de Bretagne também alberga o Museu de História de Nantes, pelo que se desejar pode visitar os dois monumentos ao mesmo tempo.

Em primeiro lugar saiba que o castelo está rodeado de um fosso que servia de proteção contra ataques.

Isto é, para entrar no castelo tem de passar uma ponte levadiça que atravessa o dito fosso.

Quando passar a ponte preste especial atenção à portas. Elas são de madeira e foram feitas para resistir à passagem do tempo.

Logo a seguir à ponte encontra um pátio que liga os vários edifícios, incluindo o que que serve de morada para o Museu de História de Nantes.

Para aceder às muralhas tem de subir as escadas que encontra junto à entrada do Museu de História de Nantes.

E para ter uma vista de 360º sobre Nantes aconselhamos que percorra o caminho completo das muralhas. São cerca de quinhentos metros de onde poderá observar a cidade.

Por outro lado, tente passar em frente ao castelo depois de anoitecer e ficará a conhecer um castelo muito diferente.

Isto porque à noite a iluminação amarelada confere ao monumento uma aparência fantasmagórica que não vai querer perder.

Como chegar ao Château des Ducs de Bretagne

O castelo está localizado no número 4 da Place Marc Elder, em Nantes.

Musée D’Histoire de Nantes

Musée D'Histoire de Nantes

O Musée D’Histoire de Nantes é vizinho do Château des Ducs de Bretagne.

Por isso, quando planear a visita de um monumento aproveite para visitar o outro!

Tome nota, no primeiro domingo de cada mês a entrada no castelo e no museu é grátis!

Pareceu-nos, então, uma boa oportunidade para conhecermos melhor a história de Nantes.

O retrato histórico de Nantes pode ser observado em cerca de 1150 objetos dispostos nas diferentes salas.

O museu está organizado em quatro grandes temáticas: A história do Castelo, a questão colonial, a Primeira Guerra Mundial e a Segunda Guerra Mundial.

Também existe um café e uma livraria no complexo, ideais para uma pausa, principalmente se viaja com crianças.

Localização do Musée D’Histoire de Nantes

O Musée D’Histoire de Nantes está localizado no número 4 da Place Marc Elder, em Nantes.

Passage Pommeraye

É o local indicado se pretende visitar boutiques de marcas internacionais e fazer algumas compras.

No entanto, também existem pequenos restaurantes perfeitos para uma breve pausa.

Já agora, sugerimos que observe com atenção as estátuas de mármore que adornam as galerias.

Place Royale

Esta praça foi destruída durante os bombardeamentos em 1944 mas mantém ao centro a sua fonte característica.

Église Saint Nicolas

Da Place Royal vê-se um edifício pontiagudo que é a Igreja de São Nicolau, não passe sem entrar nesta igreja!

Tour de Bretagne

Esta torre é amada e odiada pelos habitantes, pois algumas pessoas acham-na feia.

É o edifício mais alto de Nantes e no interior pode visitar “O Ninho”, um bar que tem uma enorme estátua com a forma de uma ave branca.

Cathédrale St-Pierre et St-Paul

Esta catedral de estilo gótico também é conhecida como a Catedral de Nantes.

Quando entrar preste especial atenção aos vitais!

Musée d’Arts de Nantes

Para os amantes de arte este museu é de visita obrigatória. Poderá admirar obras de Arte Antiga, do Século XIX , de Arte Moderna e Contemporânea.

Saiba que organizamos viagens a pensar nas famílias que gostam de viajar com algum conforto e sem ir à falência!

Algumas promoções são publicadas no grupo Ofertas de VIAGENS mas há conteúdo novo no instagram e estamos disponíveis em reservapassaporte@gmail.com!



2

Quintandona, aldeia de xisto no distrito do Porto

Conheça a aldeia de xisto no distrito do Porto

Se não sabia que no distrito do Porto existe uma aldeia de Xisto, aqui fica o convite para visitar Quintandona!

Nós já tínhamos tido oportunidade de visitar esta aldeia preservada por altura da Festa do Caldo (pode consultar o artigo aqui), mas à noite e em ambiente de festa.

A aldeia foi recuperada em 2005 recorrendo à ajuda de fundos europeus e envolvendo ativamente a população local.

Visitar Quintandona

Em primeiro lugar gostaria de dizer que existem vários parques de estacionamento onde poderá deixar o seu carro em segurança.

Quintandona é uma aldeia pequena, como quase todas as aldeias de xisto que conhecemos.

Além disso, as casas foram recuperadas com cuidado e houve um grande esforço para manter a traça original das construções de xisto.

É uma aldeia viva, isto é, vivem realmente pessoas em Quintandona.

No entanto, estas pessoas gostam de receber os visitantes que logo à entrada podem ver (e comprar) alguns produtos agrícolas e artesanato produzidos na aldeia.

Esta foi uma forma que os habitantes encontraram de mostrar os seus produtos e ganhar algum dinheiro extra.

O que visitar em Quintandona

Loja de produtos tradicionais

É a primeira casa que o visitante encontra mesmo antes de entrar na aldeia!

Esta loja de produtos tradicionais tem uma selecção bastante variada de artesanato, produtos hortícolas, doces e licores.

Visitar Quintandona
Loja em Quintandona

Casa do Xiné – Centro Cultural

A Casa do Xiné foi adquirida pela Junta de Freguesia de Lagares e é atualmente um centro cultural.

É aqui a residência do grupo teatral Como Deantes que tem como missão recriar as tradições e costumes locais.

Onde ficar alojado em Quintandona

Casa Valxisto – Country House

Pode ficar alojado junto à aldeia na Casa Valxisto – Country House, um turismo rural perfeitamente inserido nesta aldeia típica em Penafiel.

Aqui privilegia-se a agricultura biológica e o contacto com a natureza.

Visitar Quintandona
Casa Valxisto – Country House

Onde comer em Quintandona

Casa da Viúva Wine Bar

Neste estabelecimento o vinho é rei e as tapas são rainhas.

isto é, o conceito do restaurante passa pelos visitantes poderem provar vários tipos de vinho à medida que degustam alguns pratos com produtos da região.

Visitar Quintandona
Casa da Viúva Wine Bar

Localização de Quintandona

A aldeia de Quintandona fica localizada na freguesia de Lagares em Penafiel, a cerca de trinta minutos da cidade do Porto.


Gostaria de conhecer melhor Portugal? Já publicámos vários artigos dedicados a destinos portugueses! Também organizamos viagens, veja algumas promoções em Ofertas de VIAGENS! E não se esqueça de nos acompanhar no Instagram.

2

Restaurante a Lareira no Porto

Veja um artigo completo sobre o restaurante a lareira

Conhece o Restaurante A Lareira na cidade do Porto? Vários amigos já me tinham falado neste restaurante portuense mas ainda não tinha surgido a oportunidade de o visitar. Felizmente na semana passada resolvemos experimentar o Restaurante A Lareira e como gostámos bastante aqui deixamos a sugestão.

Restaurante a Lareira no Porto

A carta não tem muita variedade mas o restaurante é conhecido pelas tapas, pelos pregos e pelo pernil. Pode escolher a versão do prego e do pernil servida no prato ou dentro de um pão.

1542573564cff40e6ab1a1debb57be5382a83e459f.jpg

Nós estávamos indecisos entre a sandes de pernil e a sandes de prego mas no fim ganhou o pernil.

A sandes de pernil com queijo chegou até nós bem recheada, como se quer num almoço quando a seguir se vai trabalhar! A acompanhar estavam umas batatinhas fritas às rodelas com orégãos que fizeram a festa.

O pernil estava muito saboroso e bastante tenro. A fatia generosa de queijo derreteu com o calor da carne e o molho do pernil na quantidade certa temperou na perfeição a sandes.

O copo de vinho da casa completou o repasto e saímos do Restaurante A Lareira com o estômago bem aconchegado, prontos para uma tarde produtiva no trabalho.

O espaço

O espaço é pequeno, as mesas estão muito próximas e facilmente conseguíamos ouvir as conversas dos outros. Mas muito sinceramente esta proximidade não nos incomodou.

A lareira lá está, ao canto, a marcar posição no pequeno restaurante.

Localização

O Restaurante A Lareira está localizado no número 8 da Rua das Oliveiras na Baixa do Porto.

Se tem interesse noutros restaurantes na Baixa do Porto tomamos a liberdade de sugerir que veja os posts que publicámos sobre o La Piadona e o Boa Bao Porto.

E já sabe, para não perder os artigos que vamos partilhando aqui no blogue pode seguir-nos no facebook  e no instagram!

Lareira Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
4

Museu Municipal de Penafiel

Veja o que pode encontrar no Museu Municipal de Penafiel

Gostaria de visitar o Museu Municipal de Penafiel? Então não faz ideia do que pode encontrar neste espaço? Em primeiro lugar, queríamos dizer-lhe que o Museu Municipal de Penafiel está localizado no palacete Pereira do Lago em pleno centro histórico e comercial de Penafiel. Além disso, nós visitámos o museu no âmbito do 1º Encontro Nacional de Travel Bloggers que decorreu nesta cidade nos passados dias 20 e 21 de outubro.

Por outro lado, achamos importante referir que nesta região também pode visitar o Mosteiro de Paço de Sousa que integra a Rota do Romântico e a Quinta da Aveleda  que é conhecida pelos seus magníficos jardins, pelo vinho e pelo queijo.  Por fim, e feitas as apresentações, vamos visitar o Museu Municipal de Penafiel!

Visitar o Museu Municipal de Penafiel

O Museu Municipal de Penafiel conta com cinco salas de exposição permanentes e uma sala de exposições temporárias. Nós tivemos a oportunidade de visitar o museu acompanhados por uma guia, o que, sem dúvida, enriqueceu a nossa visita.

Além das salas mencionadas, o museu também dispõe de Loja do Museu e Posto de Turismo onde é possível comprar artigos para levar para casa e recolher mais informações da região. Por último, sugerimos que visite o Centro de Documentação existente neste museu.

Sala da Identidade

O acervo exposto nesta sala pretende traçar um percurso histórico da região de Penafiel. Além de os visitantes poderem admirar artefactos antigos, também vão aprender sobre as tradições penafidelenses, incluindo a importância da procissão do Corpo de Deus.

Sala do Território

Nesta sala pode espreitar, literalmente, o concelho de Penafiel. Como? Através de um equipamento construído de propósito para este museu. Assim, o “olhómetro” tem vários cones pelos quais se pode espreitar, obtendo imagens capturadas a partir do céu, uma experiência a não perder!

Sala da Arqueologia

Sabia que temos de recuar cerca de cinco mil anos para encontrarmos as primeiras evidências de presença humana em Penafiel? Nesta sala estão expostos os mais variados achados arqueológicos, pelo que sugerimos que a percorra com calma e paciência.

Sala dos Ofícios

As atividades ligadas ao ferro e à madeira e que fazem parte da herança penafidelense são celebradas nesta Sala dos Ofícios. Veja como estão representadas as profissões de outrora e que já caíram em desuso.

Sala da Terra e da Água

Da terra se extraíam os cereais que serviam de sustento. Por outro lado, os rios além de facilitarem a movimentação de pessoas e bens, forneciam a força motriz que faziam trabalhar os moinhos e ocasionalmente ofereciam peixe para alimentação. Nesta sala entende-se muito bem a importância que estes elementos tiveram no desenvolvimento de Penafiel.

Horário do Museu Municipal de Penafiel

O Museu Municipal de Penafiel está aberto de terça a domingo das 10:00 às 18:00. Encerra às segundas e nos seguintes dias: 1 de janeiro, domingo de páscoa, 1 de maio e 1 de dezembro.

Como chegar ao Museu Municipal de Penafiel

A partir da cidade do Porto terá de apanhar a A4 em direção a Amarante.

Gostaria de conhecer melhor Portugal? Já publicámos vários artigos dedicados a destinos portugueses! Também organizamos viagens, veja algumas promoções em Ofertas de VIAGENS! E não se esqueça de nos acompanhar no Instagram.

5

Quinta da Aveleda em Penafiel

Visitar a Quinta da Aveleda em Penafiel

Já pensou visitar a Quinta da Aveleda em Penafiel? Sabia que é possível passear na quinta conhecida pelos vinhos e pelos queijos? E que na que na Quinta de Aveleda há um jardim tropical com características Românticas? Aposto que isso não sabia! Pois bem, no artigo de hoje vamos contar-lhe tudo sobre este pedacinho de Penafiel.

História da Quinta da Aveleda

Em primeiro lugar saiba que a Quinta da Aveleda está na família Guedes há cerca de 300 anos.

Começaram a produzir vinho em 1870 e o negócio tem sido gerido por sucessivas gerações. 

Atualmente estão na quinta geração quando se fala em produção de vinho e na décima quinta quando se fala no espaço da Quinta da Aveleda.

Visitar a Quinta da Aveleda em Penafiel

Nós visitámos a Quinta da Aveleda por ocasião do 1º Encontro de Travel Bloggers que se realizou em Penafiel. A visita guiada focou-se em três espaços principais: os jardins, a eira (com o espigueiro) e a adega velha.

Os jardins da Quinta da Aveleda

Não há dúvida que os jardins são lindos! A primeira parte que visitámos era mais húmida, num estilo tropical. Há medida que nos embrenhávamos nos jardins fomos descobrindo lagos, recantos românticos e espécies de árvores magníficas!

Visitar a Quinta da Aveleda em Penafiel

Sabia que existe na quinta um eucalipto com mais de 200 anos? Mas também pode observar o cedro japonês, ciprestes dos pântanos, as gigantes sequóias americanas e as tradicionais camélias.

Jardins da quinta

No final da visita aos jardins fomos acarinhados com uma prova vinhos e queijos. Ambos produção da Quinta da Aveleda.

Queijo e vinho verde

A eira e o espigueiro

A eira e o espigueiro estão diretamente ligados à atividade agrícola da quinta, pois tradicionalmente a eira servia para secar os cereais e o espigueiro para guardar esses mesmos cereais.

No dia da nossa visita a eira recebeu-nos para um cocktail animado onde tivemos oportunidade de provar três tipos de sangria produzida pela quinta: Casal Garcia Sangria Tinta, Casal Garcia Sangria Branca e Casal Garcia Sangria de Frutos Vermelhos. As três sangrias estão aprovadas!

A Adega Velha

Quem diria que em 1850 alguém se ia lembrar de mandar construir uma adega com capacidade para trezentas pipas? Essa adega existe e pode ser visitada na Quinta da Aveleda.

Barris na Quinta da Aveleda.

Quando visitar a Quinta da Aveleda em Penafiel?

Ora aqui está uma pergunta difícil! Nós visitámos a Quinta da Aveleda em Penafiel no mês de outubro, portanto no outono.

No entanto, vimos espécies de flores que florescem na primavera e muitas camélias que dão flor no inverno. Por outro lado, imagino que seja bastante agradável passear nos jardins refrescantes em pleno verão.

Em caso de dúvida o melhor é visitar a Quinta da Aveleda em diferentes épocas do ano!

Atividades da quinta

A quinta oferece um vasto leque de opções para além da visita aos jardins. Pode, se preferir, fazer um piquenique na vinha, passeios de bicicleta, provas temáticas, cursos e workshops, além de almoços regionais.

Tudo para que tenha uma experiência única na Quinta da Aveleda.

Localização e Contactos

A Quinta da Aveleda está localizada no concelho de Penafiel, a cerca de trinta minutos da cidade do Porto.

Morada: Rua da Aveleda, n.º 2

4560-570 PENAFIEL

Telefone: 255 718 266; 255 718 200.

As visitas são diárias mas sujeitas a marcação prévia, de segunda a sexta entre as 9:00 e as 18:00.

Gostaria de conhecer melhor Portugal? Já publicámos vários artigos dedicados a destinos portugueses! Também organizamos viagens, veja algumas promoções em Ofertas de VIAGENS! E não se esqueça de nos acompanhar no Instagram.

0

Mosteiro de Paço de Sousa em Penafiel

Mosteiro de Paço de Sousa em Penafiel

Tivemos oportunidade de visitar o Mosteiro de Paço de Sousa em Penafiel aquando do 1º Encontro de Travel Bloggers. Este encontro teve lugar nos dias 20 e 21 de outubro naquela cidade do distrito do Porto. Para conhecer os sítios fantásticos visitámos no concelho de Penafiel veja o artigo que já publicámos aqui.

De referir que a  visita ao Mosteiro de Paço de Sousa em Penafiel contou com o acompanhamento de um guia que nos explicou a história do local. As informações que se seguem foram recolhidas durante essa visita e esperamos que sirvam de roteiro para os leitores do passaporte no bolso que pretendam visitar Paço de Sousa.

Nós recomendamos vivamente a visita da região! Para mais fotografias deste encontro acompanhe o perfil do passaporte no bolso no facebook  e no instagram!

Mosteiro de Paço de Sousa em Penafiel

Em primeiro lugar saiba que o Mosteiro de Paço de Sousa foi fundado em 994 por D. Trutesendo Galindes e sua mulher D. Anímia. Existem razões para acreditar que estes fundadores são antepassados de Egas Moniz, uma vez que o aio do primeiro Rei de Portugal está sepultado neste mosteiro.

É um Monumento Nacional desde 1910 e integra a Rota do Românico.

Fachada do Mosteiro de Paço de Sousa em Penafiel

Algumas características do estilo Românico do Vale de Sousa podem ser observadas neste mosteiro, nomeadamente a existência de arcos quebrados com meias pérolas incrustadas e colunas redondas e prismáticas intercaladas.

Assim, algumas destas colunas exibem vieiras e estrelas o que indica que por ali passaria o Caminho de Santiago.

Além disso, e a comprovar esta teoria, também se pode ver a figura de um peregrino com dois pães.

Por outro lado, mesmo por cima da porta podemos encontrar duas imagens: a Lua e o Sol.

A Lua do lado norte que é associado à morte e à escuridão e o Sol do lado sul que representa a luz e a alegria são motivos que chegaram até nós desde o século XIII.

Por seu turno, as figurinhas e a rosácea são datadas do século XX e resultaram das obras de restauro após um violento incêndio.

A Rosácea tem uma função catequética e considera-se que o centro é Deus e os oito círculos formam o infinito.

Entretanto na parede do mosteiro existe um óculo por onde parece sair uma personagem.

Fachada do Mosteiro de Paço de Sousa em Penafiel

Interior do Mosteiro de Paço de Sousa em Penafiel

No interior do Mosteiro podemos encontrar o túmulo Egas Moniz, falecido em 1146.

O túmulo do aio do primeiro Rei de Portugal pode ser visitado no lado direito do mosteiro. A cabeceira e os pés do túmulo em granito exibem dois painéis do século XIII. Estes painéis representam respetivamente a morte e o enterro de Egas Moniz.

15413305186bd25808f0541a9bf2e4c8c6a93545db.jpg

Como chegar

O Mosteiro de Paço de Sousa está localizado em Paço de Sousa, concelho de Penafiel, distrito do Porto.

Gostaria de conhecer melhor Portugal? Já publicámos vários artigos dedicados a destinos portugueses! Também organizamos viagens, veja algumas promoções em Ofertas de VIAGENS! E não se esqueça de nos acompanhar no Instagram.

0

[Dicas] Como decorar as melhores Beach Houses de Portugal

beach houses de Portugal

Ter ou alugar uma beach house é a certeza que tem sempre um lugar para descansar, relaxar e recuperar energias. Conheça algumas ideias e dicas para decorar as beach houses.

beach houses de Portugal

Ter uma casa de praia, ou beach house, era algo que muitas famílias Portuguesas da década de 80 e 90 ambicionavam. A febre de comprar beach houses era grande, e nestas décadas verificou-se uma expansão exponencial do turismo interno, com o Algarve a encabeçar a lista. Em anos mais recentes, o turismo encontra-se espalhado um pouco por todo o país, com uma grande afluência de turistas estrangeiros, sedentos por provar e desfrutar de tudo o que o nosso excelente país tem para oferecer. Mas nem só de Algarve vive o turismo interno Português. Há excelentes opções em outras partes do país. Por exemplo, pode aproveitar para relaxar e passar uns dias na Ocean Village, um excelente empreendimento da Tróia Resort.

Em qualquer beach house do país, a decoração é um ponto muito importante. Para além de revelar o gosto com o qual os proprietários cuidam da casa, a decoração interior e exterior abrilhanta o espaço, e torna uma simples beach house num cantinho familiar, querido e muito acolhedor. Por vezes, o mais complicado pode ser ter ideias para decorar uma beach house.

Dicas e Sugestões para decorar as beachs houses, quer no exterior ou no interior

  1. Mobiliário feito em madeira. Para casas de férias, e particularmente beach houses, o mobiliário em madeira é algo que fica sempre bem. Existem várias lojas espalhadas por todo o país onde pode comprar este tipo de mobiliário, em tons que remetem para o verão. Pode comprar desde mesas, cadeiras, espreguiçadeiras… Para além disso, se tiver espaço, pode considerar instalar um deck de madeira na sua casa. Este tipo de estrutura confere um ar único à sua casa, e é uma excelente solução para os espaços exteriores.
  2. Luzes decorativas. Para isto, não precisa de gastar muito dinheiro. Basta comprar umas luzes de Natal simples, sem cores, e colocá-las no exterior da sua casa. Verifique apenas se as luzes que instalar podem estar expostas a humidade ou eventual chuva, para não correr o risco de as estragar. Em termos decorativos, estas luzes são uma excelente solução para abrilhantar o exterior da sua casa, criando uma atmosfera intimista.
  3. Velas e tochas. Para além de incluir iluminação artificial no exterior da sua casa, pode considerar comprar velas para ou interior, e tochas para o exterior. Obviamente que, dependendo das características da sua beach house, poderá não conseguir instalar uma tocha adequadamente. É importante que verifique e atente sempre nas normas de segurança e de manuseamento deste tipo de produtos. Se tem crianças pequenas, por exemplo, uma tocha tem que estar relativamente firme, pois pode tornar-se num potencial risco para os mais pequenos.
  4. Louça colorida e divertida. Numa beach house, pretende-se que tudo remeta para um lado mais divertido e colorido da vida. Assim, deve considerar comprar louças simples, mas coloridas e divertidas. Tenha apenas em atenção para não gastar muito dinheiro, até porque a utilização que dará a estes objetos é muito esporádica, e não vale a pena ter um serviço de refeição caríssimo para usar apenas algumas vezes no ano.
  5. Pinturas de parede em tons claros. A maior parte das fotos de beach houses que vê na Internet são sempre pintadas com cores claras, que remetem para a natureza, para o céu e o mar, e no fundo transmitem uma sensação de relaxamento e descanso. Aproveite para dar uma nova cor ao interior da sua beach house e pinte-a com novas cores.
  6. Reaproveite materiais antigos. Com materiais que estariam prontos a ser descartados, e alguma imaginação, pode criar excelentes peças de mobiliário para a sua beach house. Pode, por exemplo, recuperar paletes antigas e transformá-las em excelentes sofás de exterior. Basta para isso que as lixe e envernize. Pode também optar por as pintar com uma cor a seu gosto, aplicando depois um produto impermeabilizante para que resistam ao desgaste natural meteorológico. Finalize estes excelentes sofás com uma gama de almofadas confortáveis e de cores diferentes, e estão prontos a garantir muitos e bons momentos de convívio e diversão.
  7. Uma cama de rede. Este é já um clássico das beach houses. Se tiver uma área à sombra com espaço, instale uma cama de rede e aproveite para descansar depois do almoço ou ao final da tarde.

Acima de tudo, nunca se esqueça que uma beach house tem que ser o mais funcional possível. Tudo tem que ser de fácil utilização e manutenção, mas sempre com muito brio e sentido estético. Assim, minimizará os custos de manutenção, quer a nível económico quer a nível do seu tempo, e irá garantir que tem um período de descanso em total conforto e completamente confortável. Aproveite as suas férias.

*post patrocinado.

0

Restaurante La Piadona na Baixa do Porto

Restaurante La Piadona

O Restaurante La Piadona é, na nossa opinião, perfeito para uma refeição leve ou quando estamos com pressa. Está localizado na Baixa do Porto, na Rua de Santa Teresa, n.º 6.

Restaurante La Piadona

Nós fomos ao La Piadona à hora de almoço num dia de semana, por sugestão de uma amiga. Sabe, daquelas amigas que conhecem quase todos os restaurantes que valem a pena ser visitados!

O ambiente estava tranquilo porque não havia muita gente, o que tornou o almoço ainda mais agradável.

O espaço pareceu-me pequeno e imagino que se torne um pouco confuso quando estiver lotado.

Restaurante la piadona

Não existe serviço de mesa mas também não é preciso. Além dos menus nas mesas, também pode escolher a sua refeição num placar enorme que está afixado à parede.

Cada um escolhe o que quer, faz o pagamento, recolhe o tabuleiro e dirige-se para uma das mesas livres.

As piadinas são preparadas no momento e à nossa frente e a frescura dos ingredientes saltou-nos logo à vista!

Como não sabíamos o que pedir recorremos à ajuda da funcionária e acabamos por escolher a piadina do dia.

A parte externa da piadina parece massa de pizza. Aliás, uma mistura entre crepe e pizza. E que por ser fininha fica muito estaladiça.

De referir que os vegetais que constituíam o recheio eram sem dúvida frescos o que faz toda a diferença.

Também vimos que servem tábuas de enchidos e apesar de não temos pedido tinham muito bom aspeto.

Foi uma experiência muito agradável e será sem dúvida um restaurante a repetir.

Se estiver interessado noutras experiências gastronómicas veja o nosso artigo sobre o Restaurante Boa Boa no Porto  e o Restaurante Oh! Mexico em Miami Beach.

Por fim, não se esqueça que fazemos atualizações diárias nas nossas principais redes sociais, nomeadamente no facebook  e no instagram?

La Piadona Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato