4 In Destinos/ Macau

Macau, viagem de um dia desde Hong Kong.

ruinas-igreja-sao-paulo-macau

Durante a nossa estadia em Hong Kong decidimos fazer um tour de um dia a Macau. Dois dias antes recebemos um email de confirmação da agência de viagens que nos indicou o local de encontro. O guia encontrou-se connosco e explicou-nos como seria o dia. Fomos de autocarro até ao Terminal Marítimo de Hong Kong, entregaram-nos os bilhetes de ida e de regresso do ferry e explicaram-nos que em Hong Kong teríamos um guia diferente.

bilhetes-ferry-hong-kong-macau

A viagem de ferry demorou cerca de uma hora e quando chegámos ao Macau Ferry Terminal foi muito estranho ver as placas em português e chinês. O nosso guia, Mário, reuniu o grupo e entregou-nos alguns mapas. Perguntei-lhe em inglês se não tinha mapas em português e qual não foi o meu espanto quando ele nos respondeu em português. Afinal ele era português e vivia em Macau há mais de vinte anos.

A primeira paragem do tour foi rápida. O autocarro parou num parque de estacionamento onde se podiam ver o Palácio do Governador, o Grande Casino Lisboa, o Macau Tower e lá ao fundo podia ver-se a China Continental.

casa-do-governador-macau

Casa do Governador

grand-lisboa-macau

Grande Lisboa

Macau-tower

Macau Tower

Seguiu-se uma viagem panorâmica da cidade e algumas informações decoradas pelo guia foram sendo debitadas. A única informação que retive foi que podíamos usar os Hong Kong Dólares em território Macaense e que se levássemos patacas para Hong Kong não seriam aceites como meio de pagamento.

Por falar em dinheiro, a paragem a seguir foi no The Venetian. Quando nos aproximámos pareceu-me reconhecer o edifício. A fachada é igual ao The Venetian em Las Vegas que surge muitas vezes em filmes e séries de televisão. O Hotel, Casino e Centro Comercial são gigantes. Na área comercial existe uma réplica da Praça de São Marcos e canais com gôndolas venezianas. Outra particularidade é o céu a fingir que está sempre azul. Do casino só conseguimos espreitar quando subíamos as escadas rolantes a caminho da Praça de São Marcos.

The-Venetian_Macau

venetian-macau

The-Venetian_Macau

Depois da homenagem ao Deus do dinheiro, seguiu-se a homenagem ao Deus do espírito. Parámos junto ao Templo de A-Má para mais uma lição de história. O templo tem mais de 600 anos e quando os portugueses chegaram lá perguntaram o nome da terra e, claro, os nativos não perceberam a pergunta e responderam que aquele era o templo de A-Má. Disseram algo como A-Má-Cá, então os portugueses acharam que a terra de chamava Macau. Foi mais ou menos isto o que o guia nos explicou.

Templo-A-Ma-macau

Histórias à parte a templo é pequeno mas muito bonito. O que chama logo a atenção é a calçada portuguesa nas ruas em tons de branco, preto e rosa. Depois da visita ao templo fomos a uma pastelaria cuja especialidade é o pastel de nata. Nós não comprámos pastéis mas quem os provou estava deliciado. Em contrapartida nós estivemos entretidos a provar as outras especialidades deles, que por acaso eram grátis. Biscoitos de amêndoa de vários tipos, a maior parte demasiado secos para o meu gosto mas que naquele momento souberam que nem ginjas.

biscoitos-de-amendoa-macau

Regressámos ao autocarro e fizemos uma curta paragem junto à estátua de Guan Yin. Parece que os macaenses no início não gostaram muito da estátua dourada que foi uma oferta do Governo Português aquando da devolução do território à China. As feições ocidentais da estátua e o facto de não estar de acordo com os princípios de Feng Shui não agradaram mas têm considerado que a estátua trouxe boa sorte a Macau e por isso resolveram aceitá-la.

estatua-de-guan-yin-macau

O almoço buffet incluído no tour foi num hotel e experimentei um prato típico macaense que se chama “frango à portuguesa”. O guia brincou com o nome da receita e disse que alguém fosse a Portugal e pedisse “frango à portuguesa” certamente lhe serviriam outra coisa. A verdade é que a comida estava boa, não tenho fotografias mas vou tentar arranjar a receita para fazer cá em casa.

Depois do almoço finalmente fomos visitar o centro histórico de Macau. Visitámos a fachada icónica da Igreja de São Paulo, também conhecida como igreja da Madre de Deus, a escadaria e as ruas centrais até à Igreja de São Domingos.

ruinas-igreja-s.-paulo-macau

igreja-s.-domingos-macau

Antes de regressarmos ao ferry e já que estávamos na terra dos casinos, ainda visitámos o Grand Emperor Hotel, o hotel e casino do Jackie Chan cuja particularidade está no chão. Várias barras de ouro estão acomodadas no chão da receção do hotel. Bizarro!

Grand-emperor-hotel-macauGrand-emperor-hotel-macau

Não encontrou o que procura? Envie-nos um email ou deixe um comentário. Teremos todo o gosto em ajudar!


Inspirado? Quer preparar a próxima viagem?

Comprar bilhete de avião na momondo:

Comprar viagens e cruzeiros na Logitravel:
728x90_Cruzeiros_AlwaysOn

Não se esqueça do seguro de viagem:

Reservar hotel no Booking:
Booking.com

Alugar carro na Europcar:

Procurar e reservar restaurantes com desconto em Thefork:

Não tem tempo para organizar a sua viagem? Nós fazemos a pesquisa por si, GRATUITAMENTE! Mais informações aqui.

*Este post contém links afiliados, sempre que adquirir um bem ou serviço através de um dos links do nosso blogue, nós recebemos uma pequena comissão, mas você não paga mais por isso.

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply
    Kelly MacKay
    2018-04-23 at 13:12

    Nice buildings.

    • Reply
      passaportenobolso
      2018-04-23 at 19:16

      Thanks 🙂

  • Reply
    ludoevico
    2018-04-23 at 16:06

    Eu conheci Macau e Hong Kong com meus pais quando fiz 18 anos. Ainda não tive chance de levar os meninos, mas foi uma experiência muito bacana😁👍Achei estranho que, embora tivesse algumas placas em português em Macau, ninguém sabia falar nosso idioma. Vocês também passaram por isso?

    • Reply
      passaportenobolso
      2018-04-23 at 19:15

      Sim, ninguém fala português. Obrigada pelo comentário 🙂

    Deixar uma resposta

    %d bloggers like this: